menu

Assembleia Legislativa de Mato Grosso

AL/MT: Edital do concurso gera polêmica


O edital do concurso público da Assembleia Legislativa de Mato Grosso causou polêmica entre profissionais, estudantes e concurseiros, nas redes sociais. De acordo com os concurseiros, o edital não cobra diploma ou cursos técnicos para funções específicas como técnico de eletricidade ou radialismo.

O caso que chamou atenção dos internautas foi para o cargo de técnico eletricista. No edital, os candidatos não precisam apresentar nenhum tipo de aptidão, experiência ou certificado de algum curso técnico na área. Sem nenhum tipo de formação, os eventuais servidores correm risco de vida e também geram riscos para as demais pessoas que frequentam a sede da assembleia.

Ainda de acordo com o edital, divulgado na terça-feira (16) para o cargo de radialista é necessário apenas a entrega do diploma de ensino médio. O edital não cobra sequer uma comprovação de experiência ou registro profissional. De acordo com os internautas, como o curso de Rádio e TV é oferecido por uma universidade pública no estado, a assembleia deve exigir o diploma para a vaga.

A estudante do curso de radialismo da Universidade Federal de Mato Grosso, Fernanda Sólon, afirmou que os alunos do curso se revoltaram com o edital. Ela contou que um grupo na faculdade foi criado e os estudantes levaram as divergências encontradas até a assembleia.

De acordo com Keka Werneck, representante da junta administrativa do Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso, a categoria marcou para o próximo dia 24 uma reunião com o setor jurídico da instituição para verificar a possibilidade de entrar com uma ação pedindo a anulação ou uma ratificação do edital do concurso.

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso não quis se pronunciar e informou, por meio da assessoria de comunicação, que a empresa responsável pela realização do concurso é quem está respondendo pelo mesmo. O DIÁRIO tentou entrar em contado com a empresa, mas não obteve resposta.

Fonte: Diário de Cuiabá
Saiba mais no SOS Concurseiro

5 comments

  1. Fabrício

    Não entendo qual a razão de não ter havido polêmica em relação ao edital do TJ-PR que informa que a data da prova só será conhecida a 15 dias da aplicação. Isso sim deveria causar polêmica também , haja vista que a questão da concorrência fica complexa para candidatos que moram fora do estado e precisam se antecipara em relação a passagem e local para ficar .

    Posted on 19 de julho de 2013
  2. Joannes Soares

    Olha. Banca organizadora? Tem que olhar na lei de criação da Assembleia Legislativa pra ver se têm essas exigências previstas, pois deve ter. Se tiver, blz. É só alterar o edital. Se não tiver, aí terá que pedir a suspensão do concurso até q seja alterada, acredito! ;)

    Posted on 19 de julho de 2013
  3. Nelson Lopes

    Ai você fica naquela: “Faz ou não faz”.

    Posted on 19 de julho de 2013
  4. dora Bufato

    O concurso da AL será no mesmo dia do concurso do Ministério do Trabalho…pode isso? Não está tirando a oportunidade dos coitados dos concurseiros!!!

    Posted on 19 de julho de 2013
  5. Tyna

    Sou Técnica em Secretariado todos os editais sérios que procuram esse tipo de profissional solicitam os seguintes requisitos básicos:

    Diploma, certificado ou atestado de
    conclusão do Ensino Médio
    Profissionalizante ou do Ensino Médio
    completo + Curso Técnico em
    Secretariado.
    (dados tirados do edital deste ano da Ufmt)

    Posted on 20 de julho de 2013

Leave your reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Go to top