Home » Eu Já Passei » Conheça a bela história de SUCESSO de Susie !!!

Meu nome é Susie Tanure, tenho 45 anos, sou casada, adoro cozinhar  e sou mãe de dois lindos rapazes, de 15 e 12 anos. Sou de Cachoeiro do Itapemirim, interior do Espírito Santo, terra do Roberto Carlos: “Meu pequeno Cachoeiro”, lembra? Sou dentista, ou melhor, ERA, pois sou auditora do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) há pouco mais de um ano. E olha que, antes, nem sabia que existia esse cargo!

Bem, vamos a minha história: Vim de família pobre, de marré, marré… Estudei com o benefício do antigo Crédito Educativo. Resolvi fazer concurso na minha área de formação, a Odontologia. Entrei como servidora do meu município, com carga horária de 20h. O salário era bem pequeno. Muito pequeno. Ainda assim, fui levando, tive dois filhos, sempre vivendo no aperto, os meninos na escola pública, andando de ônibus, sem dinheiro para fazer qualquer curso (não tinha consultório). Depois de uns dez anos nesse ritmo, pensei: puxa, eu gosto tanto de ler, gosto de estudar, tenho facilidade de aprender, por que não fazer outro concurso? Se Deus me deu a capacidade, por que não utilizar? Não nasci numa aldeia no Togo, em Burundi, não sou analfabeta, posso usufruir dos benefícios da internet… Se eu tivesse nascido há algumas décadas, provavelmente, nem saberia ler, sendo mulher e pobre. Todas as oportunidades de que Deus me deu para dispor, um dia não vai me cobrar o uso delas? Pois bem, pensando dessa maneira, com os meninos já grandinhos, fiz outros dois concursos em minha área e fui aprovada em primeiro lugar em ambos, tive que optar por um deles e passei a ter uma remuneração bem melhor. Comprei um carro e pensava que pararia por aí mas, tenho um tio que é auditor da Receita Federal e sempre me falava para eu estudar e prestar concurso de AFRFB. Em janeiro de 2009, pela primeira vez, disse a ele que ia pensar nessa possibilidade e que ia orar nesse sentido, pois entendia que a tarefa era hercúlea e só se Deus me capacitasse para tanto. Uma coisa é passar em primeiro lugar como dentista em duas cidades quase desconhecidas do ES, outra é passar para AFRFB (em 2009, 173 candidatos/vaga). Anos-luz de distância. Fora isso, e se eu não gostasse do trabalho? Nem sabia bem o que eles faziam… Aprender mais de 20 matérias totalmente diferentes do que fazia? Doideira…

Quanto mais eu orava, mais desejo de mudar, de avançar, sentia. Em fevereiro de 2009 decidi e, no mesmo dia, comecei um curso com aulas telepresenciais, cujas aulas já haviam se iniciado duas semanas antes. Todos os dias, horas de conteúdo despejado e eu pensando “Que maluquice! Como é que eu vou aprender isso tudo?” Fora a Contabilidade, que me pareceu como escalar o Himalaia. Não aprendi praticamente nada naqueles seis meses, pois não dava pra digerir nem o que era exposto nas aulas. Porém, lá ouvi um colega falar do EuVouPassar. Acessei o site, que era bem modesto, com poucas aulas, estava começando. Gostei demais. Fiz minha matrícula. Foi naquele cursinho telepresencial que uma amiga, dentista também, falou-me acerca do concurso de auditor do Ministério do Trabalho, sobre o qual não conhecia, até então. O professor de Contabilidade, que nem sabe que eu existo, disse algo que, para mim, foi fundamental: que a filha tinha chegado chorando em casa em virtude de estar com dificuldades nos estudos, que era muita matéria para estudar. Ele disse que enxugou as lágrimas dela e disse: “Filha, vamos fazer como Jack Estripador, vamos por partes…” Olhando no todo, parece, e é, um mundo de informações. Depois de ver várias vezes, você começa a ver o círculo se fechando, percebe que é menos extenso do que você imaginava, que as ideias se complementam. Muito interessante.

Ao término do curso, em julho de 2009, sentei para começar a entender as matérias e o concurso propriamente dito, bem como a banca ESAF. Como diz uma amiga, comecei as HB (horas, digamos em outras palavras, nádegas). Isso foi julho de 2009. Estudava, no mínimo, umas 5 horas por dia, até 14 horas. Continuei trabalhando e não tinha empregada, nem sequer diarista, tinha que parar várias vezes pra cozinhar, arrumar a casa, essas coisas que as rainhas do lar (com muita honra) conhecem bem. Puxa, meu esposo foi dez! Super importante o apoio dele e dos meus meninos, sem o qual, não teria dado. Em setembro, saiu o edital da Receita, com prova para dezembro/2009, logo depois, o edital de analista da Receita e auditor do Ministério do Trabalho. Fiz inscrição para todos eles.
Há dias que são especialemente difíceis, em que a gente se sente muito burra, incapaz de entender, sem vontade de ficar horas sentada na frente do notebook, mas agi como um robozinho: estudava e pronto. Apenas uma terefa para realizar, ligava o automático e ia em frente, durante as horas em que fosse possível. Todos os dias. O mais difícil é ser constante. Animar-se durante dois, três meses e depois desanimar é o mais comum. Aí é que mora o milagre.

Usei as aulas do EVP da seguinte maneira: escolhia o curso a fazer, via umas dez aulas por dia, até terminar, fazia anotações para cada matéria em um caderno e partia para questões, uma cem de cada matéria, por dia. Foi aí que comecei a entender sobre as maneiras da abordagem das matérias por parte da banca, o momento em que caiu a ficha. Recomendo a todos o site. Aqui na minha cidade, sou garota-propaganda e não ganho nada para isso, a não ser o prazer de ver talentos desabrocharem. Quem é mais antiguinho vai lembrar que somente passava em grandes concursos quem ia estudar nos melhores cursinhos do RJ e SP, deixando uma modesta quantia de um carro zero, no mínimo. Depois da internet, a coisa mudou bastante e a proposta do EVP é muito democrática e extremamente acessível. Sou uma fã, tanto que continuo aluna do site. Sou VIP 36 e, precisamente hoje, renovei minha matrícula.

Sabe o que aconteceu no AFRFB? Eu passei em todas as matérias. Todas, mesmo Contabilidade – Não é que atravessei o Himalaia?, Raciocínio Lógico (argh! Aprendi com Sérgio Carvalho – Grande mestre! – o básico para acertar as fáceis e até aprendi a chutar!!!). Porém, não obtive classificação para ir para a segunda etapa, fiquei 13 pontos abaixo da nota de corte. Considerei essa uma grande vitória. Não me lembro se foi uma ou duas semanas depois, houve a prova para Analista da Receita, para a qual também fiz inscrição. Lá fui eu. Saiu o resultado: meu nome no Diário Oficial: iria para a discursiva. Três dias depois, a ESAF mudou o gabarito e eu estava fora. Nem parei pra ficar triste, nem pensei no assunto, meu tio queria mandar dinheiro pra eu contratar um advogado e coisa e tal, eu disse: Tio, esquece! Não vou dissipar as energias nem perder tempo com “chorumelas” (aprendi com o mestre Sylvio Motta), daqui a pouco vem a prova do MTE (233 candidatos/vaga) e é pra ela que irei estudar. Assisti a todas as aulas do primeiro curso do Ricardo Resende (Dir. do Trabalho) duas vezes. Cara, ele é demais! Hoje, é meu colega de trabalho e, quando tenho dúvidas, mando e-mail pra ele, que me atende prontamente. Em março, fiz o concurso, passei no meio das vagas, fui para a discursiva bastante apreensiva, afinal de contas, uma coisa é adquirir um conhecimento enciclopédico, de duas ou três linhas, de várias matérias. Outra, bem diferente é escrever acerca do tema sessenta linhas. Consegui a aprovação, continuando no meio das vagas, em 128º lugar. Tomei posse em agosto de 2010, dia 05.

O pessoal que passou comigo é, em grande parte, muito jovem. Aliás, trabalho com um rapaz que tinha 23 anos quando assumimos o cargo. Escrevo em setembro de 2011 e ele ainda não comprou carro para si, mas deu um carro para os pais e, pelo que sei, o pai ficou vários dias sem dormir direito, emocionado pelo presente. Bacana, né? Outro amigo que trabalhava conosco e que estava nos excedentes da Receita e foi convocado (hoje é AFRFB em Corumbá), construiu uma casa para os pais, que sempre moraram de aluguel. Isso também foi lindo. Sei que eles foram muito vitoriosos, mas sendo uma senhora, mãe, esposa, rainha do lar, oriunda de uma pequena cidade, acho que minha conquista teve um sabor sensacional. Gostaria que você, ao ler, pensasse nisso. Tudo é possível. Outra coisa muito importante a dizer nesse momento em que tenho pouco mais de um ano de atividade é que A-D-O-R-E-I o trabalho. Nunca senti saudades de ser dentista. Foi um rio que passou em minha vida…

Como não tenho formação em Direito, não farei outro concurso, creio. Se tivesse, ia encarar a Procuradoria. Continuo assistindo aulas do EVP, em especial as do Marcelo Bernardo e Ricardo Resende. Agora, por puro prazer de aprender.

Como você percebeu, a fé tem uma importância crucial em minha vida. Entendo que muitas pessoas são super capazes, mais que eu, e não passaram. Há muitos fatores além do estudo. Se você estiver em ponto de bala mas, na semana da prova, tiver apendicite, quebrar a mão, tiver uma super dor de barriga, for surpreendido por uma fatalidade, uma péssima notícia ou acontecimento ruim, que abale seu emocional, adeus prova, só na próxima, quem sabe quando. Estudar é apenas um dos itens, ainda que fundamental. Entendo, além do mais, que passar em um concurso maravilhoso pode ser péssimo para alguém, em determinado momento. O que serei e farei no futuro, somente Deus conhece. Prefiro deixar a direção de meu viver para Deus e cuidar do que me cabe. Deus é perfeito e sabe de todas as coisas, inclusive o que é melhor para mim e em que momento. Então, se fosse dar um conselho, diria: Entregue a Deus a direçãode sua vida e faça o que cabe a você.

Felicidades! Estou torcendo por seu sucesso!

Trancrevo abaixo um trecho do Salmo 18, versos 28 a 30, com inserções minhas em itálico, entre colchetes:

O Senhor, meu Deus, derrama luz nas minhas trevas.

[da ignorância concurseira]

Pois contigo desbarato exércitos,

[aprendo 23 matérias para fazer o concurso]

com o meu Deus salto muralhas.

[inclusive, aprender Contabilidade e enxergar as inúmeras pegadinhas]

O caminho do Senhor é perfeito;

[Ele sabe o momento certo e o lugar onde devo trabalhar]

A palavra do Senhor é provada;

ele é escudo para todos os que nele se refugiam.

15 Comments

  1. Cida disse:

    Susie, que bençao! Amei seu comentario, muito estimulante, a parte de ser mae concurseira, cuidar de tudo e da falta de grana parece muito com minh realidade, mas sei que determinaçao e foco sao essenciais, claro que com a fe para nos manter de pe em meio as lutas e desanimos constantes. O que te manteve estimulada,ou melhor,qual foi sua estrategia em meio as tarefas e o dever de mae? vc e mais que Vencedora!! obrigada

  2. lanea disse:

    Emocionante, Precisava de ouvir (ler) um depoimento assim, Que Deus continue te abençoando e obrigada por compartilhar sua história.

  3. Abraão Viveiro disse:

    Simplesmente fantástico seu depoimento… Deus é maravilhoso…

  4. Mara Ramires disse:

    Susie, parabéns. Sou nutricionista e concurseira na área do Direito, não sou mais tão jovem, mas acredito piamente que a hora certa chegará. Veja, até o curso de Direito iniciei em 2011. Parabéns novamente pela conquista. Seu depoimento foi muito importante, para que eu siga e não desista.

  5. Vanusa Carvalho da Silva disse:

    Nossa que tremendo o seu testemunho!!! Pois sempre soube que Deus é fiel e tem prazer em abençoar aqueles que O buscam e confiam Nele,e mais,se esforçam que Eu o ajudarei;diz o Senhor Deus.
    Eu agora decidi que farei concursos,pois eu havia dessistido disso,pois até então,vivo quebrando a cabeça em empregos não satisfatórios e como terminei meu curso técnico em administração,quero exercer o que tenho.
    Gostaria se possivel vc me ajudasse em dúvidas que eu tiver.
    Meus parabéns….
    Com carinho e todo respeito, Vanusa Carvalho.

  6. Cintia disse:

    Oi Susie! Amei seu depoimento.

    Eu sempre me assustei com a quantidade de conteúdo que temos que estudar, e realmente, olhando no todo, é um mundo de informações. Mas já estou vendo o círculo se fechando! as ideias se complementam mesmo.
    Tem dias que são extremamente difíceis de estudar, de manter a concentração… tem dias que me sinto burra, tem dias me sinto inteligente. O esquema é ser um robozinho mesmo, sentar, estudar e pronto.

    Parabéns por sua conquista!

  7. Francineide Nascimento disse:

    Minha história de vida é semelhante, e muito, a sua. O seu depoimento renovou minha fé e, consequentemente, a vontade de estudar. Eu creio que quando colocamos Deus na direção de nossa vida, Ele nos leva a lugares inimagináveis…

    Parabéns pela vitória!

    Deus a abençoe!

  8. Carolina disse:

    Susie, que show! A cada frase fui tomada pela emoção da sua aprovação, como se o mesmo tivesse ocorrido comigo. Tenho uma história muito semelhante à sua. Levarei o seu depoimento comigo para que dentro da minha rotina de rainha do lar eu não perca o meu foco. Também sou profissional de saúde e passei pela mesma situação. Decidi mudar e abandonei um cargo público para me realizar. Foi o ato mais corajoso da minha vida! Encontrei o EVP sem querer querendo e, agora, pretendo deixar aqui em breve um depoimento assim como o seu, que inspire mais e mais brasileiros a lutarem para se realizarem profissionalmente!
    Parabéns!!

  9. Bruna disse:

    Susie, adorei a sua história, também sou formada em odontologia e decidi mudar de vida, pois essa rotina de consultório particular ninguém merece. Espero muito em breve deixar o meu depoimento assim como o seu.

    Parabéns!!!!!!

  10. Ale disse:

    Realmente inspirador este depoimento. Se fosse possível um complemento de como você está atualmente, eu agradeceria imensamente.
    Parabéns Susie

  11. Elizangela disse:

    Susie Parabéns!!

  12. LUA disse:

    O melhor depoimento que li Susie, parabéns pela(s) conquista(s).
    Tenho 36 anos e, não estando satisfeita, há alguns meses decidi largar o emprego e me dedicar a concurso, ir me sustentando com as reservas que fiz até conseguir outro emprego e continuar estudando até atingir meus objetivos: estabilidade, melhor salário e melhor condição de trabalho. Como ainda não tenho filhos e ninguém que dependa de mim financeiramente, acho que tenho um ponto positivo a meu favor. E estou me empenhando para conseguir logo a primeira aprovação. ;)

  13. Carla disse:

    Um dos depoimentos mais emocionantes e inspiradores que já li, Susie.
    Admiro tua determinação e tua fé…
    Parabéns!

  14. TGB disse:

    APÓS LER UM TESTIMUNHO DESTE SÓ ME RESTA ESTUDAR…
    Obrigado por compartilhar sua tragetória!

  15. Dimitrius disse:

    Parabéns Susie.
    Belo testemunho e com certeza vc é uma vitoriosa. Representa muito bem essa classe de guerreiras, que são mães, esposas, trabalhadoras. Com certeza um enorme incentivo o seu depoimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *