Home » News » Serviços afetados e números imprecisos com terceirizados em Fortaleza

O número de terceirizados, que atuam vinculados à Prefeitura de Fortaleza, ainda é desconhecido pela atual gestão. O quantitativo, denunciado desde a campanha eleitoral, em outubro, ainda não foi mensurado oficialmente, segundo a assessoria do órgão. Enquanto isto, nos equipamentos públicos, funcionários, que esperam o pagamento dos salários atrasados, cruzam os braços e a população, novamente, tem os atendimentos comprometidos. Ontem, cerca 500 trabalhadores da Saúde, distribuídos nos 92 postos da Capital, iniciaram greve por tempo indeterminado.

Os terceirizados prometem acampar em frente ao Paço Municipal, no Centro, até que  a Prefeitura repasse às empresas terceirizadas Map e Skyserv, os salários referentes aos meses de dezembro e janeiro. Conforme a presidente do Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio e Conservação do Estado do Ceará (Seeaconce), Penha Mesquita, os zeladores, atendentes, os agentes administrativos, os auxiliares de enfermagem e de saúde bucal, dos equipamentos, aguardam também o recebimento dos vales alimentação e de transporte.

No total, ela garante que a área concentra cerca de seis mil terceirizados, sendo mais de cinco mil ligados ao Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Apoio à Gestão em Saúde (IDGS). Enquanto persisir o impasse, os trabalhadores permanecerão parados. “No primeiro momento queremos garantir o pagamento do que está atrasado. Não sabemos ainda como ficará a manutenção de contratos e as atividades futuras. Eles só voltarão para os posto quando algo for feito”, garantiu.

Conforme a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), os diagnósticos quanto ao número de profissionais seguem sendo feitos, mas de forma preliminar. A única informação concreta é que o setor abriga, de fato, mais de cinco mil trabalhadores do tipo.  O processo de terceirização que, segundo a SMS, envolve zeladores, auxiliares de enfermagem, assistente social, psicólogos, entre outros, além das já mencionadas empresas, compreende ainda profissionais das empresas Certa e da CSN.

DÍVIDAS E PAGAMENTOS
A SMS garantiu ainda que, ontem, o pagamento referente ao mês de janeiro foi repassado às empresas. Já os salários de dezembro, nos casos da MAP e da Skyserv, os documentos de reconhecimento de dívida foram encaminhados ao Comitê Municipal de Gestão por Resultados (Cogerfor). O débito deverá ser analisado, e a partir daí, será negociada alguma ação.

Na tentativa de garantir que a população não será afetada pelo impasse, a Secretaria assegurou que nos encontros realizados com a categoria, foi negociado que os serviços seriam mantidos. Porém, apesar da Pasta garantir que está atuando para solucionar todas as pendências, o prazo para definição total da situação destes profissionais, ainda é incerto. Ontem, até o final da tarde, a representante do Seeaconce, ressaltou que não foi recebida por nenhum representante da Prefeitura, nem foi comunicada sobre o repasse.

REUNIÕES NO MPT
Nos últimos dias, seis reuniões, já foram realizadas no Ministério Público do Trabalho (MPT/CE), entre a Prefeitura, o Sindicato e as empresas terceirizadas, para tentar solucionar os problemas desta natureza. Segundo  o procurador do MPT, Antônio de Oliveira Lima, hoje, uma rodada com três reuniões (Saúde, Educação e Ação Social) deverá encaminhar alguns acordos.

Dentre as resoluções, o procurador informou que um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC)  foi assinado pelo Município, na semana passada, para que os salários dos trabalhadores da área de Direitos Humanos fossem quitados. A perspectiva para hoje, é que as negociações garantam pelo menos o pagamento parcelado dos débitos restantes, conforme Antônio.

Fonte: O Estado

Saiba mais no SOS Concurseiro

1 Comment

  1. Luciana Kely disse:

    tenho interesse em vaga de recepcionista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Login