Home » News » Câmara aprova criação da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará

Texto segue para o Senado. Cálculos do MEC estimam em R$ 41,2 milhões as despesas com a nova universidade em 2013.

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) aprovou nesta quarta-feira (10), em caráter conclusivo, proposta que cria a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa). Pelo texto (PL 2206/11, do Executivo), a nova instituição será resultado do desmembramento do campus de Marabá da Universidade Federal do Pará (UFPA).

O projeto seguirá agora para o Senado, a menos que haja recurso para sua análise pelo Plenário. A proposta já havia sido aprovada pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; de Educação; e de Finanças e Tributação.

O relator na CCJ, deputado Marcos Rogério (PDT-RO), recomendou a aprovação da matéria com emenda acatada anteriormente pela Comissão de Finanças. A emenda deixa claro que as verbas necessárias para o provimento dos cargos e funções criados serão previstas anualmente no Orçamento da União.

Novos campi
A nova estrutura será integrada por campi a serem criados em Rondon do Pará, Santana do Araguaia, São Félix do Xingu e Xinguara. Marco Rogério rejeitou, no entanto, a emenda aprovada pela Comissão de Finanças que previa a vinculação do campus de Parauapebas à Unifesspa. O relator observou que não cabia àquele colegiado apresentar emenda de mérito, uma vez que sua análise deve se restringir aos aspectos financeiros e orçamentários da matéria.

Marcos Rogério explicou, no entanto, que não impedindo a criação de um núcleo em Parauapebas, uma vez que já existe no local um campus pertencente à UFPA, mas vinculado à Universidade Federal Rural da Amazônia. “A rigor, não se está criando ou deixando de criar o núcleo de Parauapebas, mas deixando de vinculá-lo à universidade nova”, declarou.

Despesas
Cálculos do Ministério da Educação estimam as despesas com a Unisfesspa em R$ 41,2 milhões em 2013. Até 2017, quanto está prevista a contratação completa de pessoal para a instituição, a expectativa é de R$ 260,6 milhões.

O projeto cria 506 cargos de professor, 238 cargos técnico-administrativos de nível superior e outros 357 cargos técnico-administrativos de nível médio. Serão abertos também um cargo de reitor, um de vice-reitor, outros 90 de direção, além de 462 funções gratificadas.

Íntegra da proposta: PL-2206/2011
http://www.camara.gov.br/internet/sileg/Prop_Detalhe.asp?id=518564

Fonte: Agência Câmara

Saiba mais no SOS Concurseiro

1 Comment

  1. marcia teixeira dos santos disse:

    cera uma ótima oportunidade para quem quer fazer uma faculdade no próprio local onde mora pra mim vai ser
    ser ótimo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Login