Home » News » Educação/SP: projeto prevê criação de 818 vagas e aumento salarial

O governador Geraldo Alckimin encaminhou, nesta quarta-feira, dia 17, para a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), um projeto de lei para a criação de 818 vagas junto a Secretaria Estadual de Educação. Destas, 400 são para o cargo de analista em tecnologia e 418 para analista administrativo. A carreira de analista em tecnologia está sendo criada pelo projeto e, uma vez aprovado, o órgão iniciará os preparativos para a realização do primeiro concurso público para o cargo, para preenchimento de vagas em todo o estado. Para concorrer será necessário possuir curso de nível superior em áreas específicas. O salário inicial será de R$2.169, com jornada de trabalho de 40 horas semanais.

De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria, o objetivo da criação destas vagas é liberar os professores de trabalhos administrativos, permitindo uma maior dedicação ao trabalho pedagógico. As atribuições do novo cargo serão destinadas a desenvolver atividades especializadas em tecnologia e infraestrutura.

As outras 218 vagas que estão sendo criadas para a carreira de analistas administrativos serão preenchidas por meio de convocação de remanescentes do concurso em andamento para o cargo, que conta inicialmente com uma oferta de 182 vagas.

A criação destas vagas faz parte de uma série de medidas anunciadas pelo governador, juntamente com o secretário estadual de educação, Herman Voorwald, que devem ser colocadas em prática após a aprovação de projetos de lei, no sentido de promover maior valorização aos servidores da pasta.

PROFESSORES – Além da criação das 818 vagas para cargos de nível superior, os projetos encaminhados pelo governador também visam elevar para 8,1% o aumento salarial previsto para julho para 415 mil servidores, incluindo 270 mil funcionários do magistério e de apoio escolar, além de 145 mil aposentados. Com isso, a política salarial acordada em 2011, que previa um aumento escalonado até 2014 de 42,2% deve passar a 45,1%. Desta forma, o salário inicial do professor de educação básica II, que é de R$2.088,27 passará a ser de R$2.257,84 a partir de 1º de julho e R$2.415,89 em 2014. Além disso,a Secretaria está elaborando um plano de carreiras para a categoria, que deve ser encerrado ainda neste semestre. Com isto, a Secretaria poderá dar maior celeridade ao aguardado concurso para professores PEB II, que está sendo aguardado desde o segundo semestre de 2012, quando anunciado pelo secretário Voorwald.

Além dos professores, o projeto de lei também visa alterar as remunerações dos servidores do quadro de apoio. Desta forma, o salário inicial para o cargo de agente de serviços passará de R$698,25 a R$754,95 e, em 2014, para R$807,79. Para os agentes de organização escolar, passará de R$840 para R$980,21 este ano e R$971,78 em 2014.

Fonte: Folha Dirigida

Saiba mais no SOS Concurseiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *