Home » News » Banco do Brasil: FCC nega quebra de sigilo

Uma foto de parte da folha de rosto da prova do concurso do Banco do Brasil (BB) foi divulgada no Facebook no último domingo, 26, data da aplicação do exame. Segundo relatos, a imagem foi postada durante o horário da realização do teste, entre 9h e 13h30. O caso está gerando polêmica entre candidatos e especialistas na área sobre a quebra ou não de sigilo da prova. A Fundação Carlos Chagas (FCC), por meio da Assessoria de Imprensa do banco, nega que o ocorrido tenha trazido prejuízos aos candidatos e à seleção.

A FOLHA DIRIGIDA ouviu especialistas na área, que acreditam que a situação demonstrou uma falha de fiscalização por parte da organizadora, já que a imagem teria sido registrada por um celular, objeto que é proibido durante a aplicação do exame. Segundo o advogado especialista em concurso público Sérgio Camargo, a FCC precisa se certificar do que está acontecendo. “Deveria ser feita uma reunião interna para demonstrar para a opinião pública que há uma preocupação quanto à fiscalização. É preciso passar uma sensação de segurança à sociedade”, afirmou.

Para o especialista em concursos Paulo Estrella, diretor acadêmico do curso Academia do Concurso, além de apurar a fundo o ocorrido, a FCC precisa rever seu processo de fiscalização. “Não resta dúvida que houve uma negligência da equipe de fiscalização da FCC, que precisa reforçar o seu esquema de segurança para os próximos concursos. Isso serve como um grande alerta, pois se o candidato chegou ao ponto de fotografar a folha de rosto da prova é porque as coisas não funcionaram bem.”

Os dois explicam que, a princípio, isso não é motivo de anulação do concurso. “Anular o concurso é um exagero, porque só é quebra de sigilo em si caso a pessoa tivesse tirado foto das perguntas. Mas a banca não poderia ter deixado isso acontecer, porque qualquer outro problema vai ser questionado”, explicou Sérgio Camargo. Paulo Estrella também pensa da mesma forma. “Em um primeiro momento, seria exagero pedir a anulação do concurso. A seleção só deveria ser anulada se ficasse comprovado que o candidato fotografou questões da prova e fez uso de meios eletrônicos para se beneficiar. Por isso, é fundamental a FCC fazer uma rigorosa apuração dos acontecimentos”, completou.

Já o diretor da Faculdade de Direito da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), Carlos Eduardo Guerra, acredita que o concurso pode ser anulado. “Cabe levar o caso ao Ministério Público, que é quem tem capacidade de apurar tudo que está acontecendo. Se for comprovado que houve quebra de sigilo, a seleção deve ser anulada”, lembrou. Ele ainda destaca que o candidato poderá ser eliminado, já que estava infringindo uma regra do edital, que estabelecia que os aparelhos eletrônicos deveriam estar desligados dentro de sacos plásticos lacrados fornecidos pelos fiscais. “Essa é uma das saídas, o que o concorrente fez foi muito grave, porque estava portando um celular ou máquina digital e ainda postou a foto na internet.”

Segundo a assessoria do BB, a organizadora explicou que a foto se trata de um documento não preenchido, apenas com dados do candidato. “O fato não causa quaisquer danos ao certame, uma vez que dele não consta informação alguma pertinente a questões da prova.” Além disso, a FCC informou que os coordenadores responsáveis pelo local da prova do participante afirmaram que não houve qualquer problema. “Os trabalhos se desenvolveram normalmente, não havendo, portanto, ocorrência digna de destaque”, explicou a instituição, por meio do banco.

Fonte: Folha Dirigida

Saiba mais no SOS Concurseiro

8 Comments

  1. ricardo augusto disse:

    O PROBLEMA É QUE ESSSE RAPAZ POSTOU A FOTO, MAIS QUANTAS PESSOAS PODEM TER ACESSADO UM CELULAR COM INTERNET DURATE A PROVA SEM SER VISTOS? QUANTOS PODEM TER SE BENEFICIADO DISSO JÁ QUE A FISCALIZAÇÃO PRATICAMENTE NAO SE PREOCUPOU EM NADA COM ISSO

  2. ricardo augusto disse:

    O PROBLEMA É QUE ESSE RAPAZ POSTOU A FOTO, MAIS QUANTAS PESSOAS PODEM TER ACESSADO UM CELULAR COM INTERNET DURANTE A PROVA SEM SER VISTOS? QUANTOS PODEM TER SE BENEFICIADO DISSO JÁ QUE A FISCALIZAÇÃO PRATICAMENTE NÃO SE PREOCUPOU EM NADA COM ISSO

  3. Flávio disse:

    Está configurada a quebra de sigilo, pois havia um telefone celular em sala durante a prova. Ainda falta alguma coisa pra comprovar a quebra de sigilo? Ele precisa ser aprovado? Precisava postar o gabarito? a discussão está ficando meio ridícula: se tem a foto, está comprovada a quebra de sigilo. Ou mais uma vez, no país da baderna, podemos dizer: Não é bem assim…

  4. José Luis disse:

    É um ponto a corrigir. Normalmente isso não significa nada, pois o cartão de respostas é distribuído antes das provas, sendo possível manipular o celular. O correto seria os fiscais, na entrada da sala, pedir que todos os celulares fosse desligados a partir daquele momento.

  5. M disse:

    Basta identificar o(a) candidato(a), anular a prova dele(a) e colocar a Justiça em cima. Fraudar concurso está previsto no CP. A banca tem obrigação moral de fazer isso.

  6. diogo disse:

    A prova DEVE ser anulada, isso é uma pouca VERGONHA, 3 fiscais por sala e isso acontece. Vai saber se ele ou mais alguém não tirou proveito desse artificio e , dessa falta de competência !!!!!!!!!!!!!!!!

  7. T disse:

    Olha, eu não acho que a prova precisa ser anulada por causa de uma foto, e se for, teria que ser pelo fato dele ter acesso a internet no periodo que estava sendo dado a prova, pois assim ele ficou com vantagem em cima dos outros candidatos, entao a prova dele apenas deveria ser anulada. E a respeito da fiscalizaçao, eu achei que os fiscais nao eram qualificados, pelo menos na minha sala eles nao olharam o RG, a prova foi começar 9:15 e o tempo do atraso eles nao repuseram no final da prova, entao a fiscalizaçao nao foi das melhores. Enfim, que tudo dê certo e boa sorte a todos.

  8. GEY disse:

    A PARTIR DO MOMENTO QUE HOUVE A QUEBRA DE SIGILO, HOUVE UM CRIME. ELE POSTOU A PRIMEIRA PÁGINA, OU A SEGUNDA , ISSO NÃO SIGNIFICA QUE NÃO TENHA FOTOGRAFADO AS OUTRAS. PARA PREENCHIMENTO DE SEU GABARITO , SIGNIFICANDO QUE PODE TER SE BENEFICIADO SIM DESTE ITEM. A JUSTIÇA TERIA QUE SIM SE VALER NESTE MOMENTO, ANULANDO ESTE CONCURSO. SÓ ASSIM AS PESSOAS QUE REALMENTE PASSARAM DIAS E NOITES ESTUDANDO COMO EU, SE SENTIRIAM RESPEITADAS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Login