Home » News » Ministério da Fazenda inicia elaboração do edital para 347 vagas

O Ministério da Fazenda já iniciou os trabalhos visando à elaboração do edital do concurso para 347 vagas em cargos de nível superior, com remuneração de R$4.353,62, incluindo auxílio-alimentação, de R$373. A seleção foi autorizada inicialmente em janeiro deste ano, mas a permissão foi republicada no último dia 26, para redistribuição de vagas. Com a nova publicação, o prazo para a divulgação do edital passou para até outubro (seis meses a contar da autorização). Anteriormente, o prazo iria até 4 de julho.
Apesar de contar com mais tempo para preparar o edital, a tendência é que o ministério agilize a elaboração e divulgação do documento. Como já havia informado uma fonte no órgão, antes mesmo da republicação da autorização, há chances do edital ser publicado dentro do prazo inicialmente estipulado (até julho). O motivo é que o ministério possui urgência na admissão dos aprovados no concurso, em função da possibilidade de mais da metade dos seus servidores se aposentar já no próximo ano. Das 347 vagas, 192 serão para o cargo de analista técnico-administrativo, aberto a graduados em qualquer área de conhecimento. As demais serão para contador (47), arquiteto (31), engenheiro (58) e pedagogo (19). Para esses, deverá ser exigida a formação e o registro no órgão de classe específicos. Em todos os casos, as contratações serão pelo regime estatutário, que proporciona estabilidade. A organizadora da seleção será a Esaf.

Nível médio – Existe ainda a previsão de abertura de concurso este ano para até 1.500 vagas de assistente técnico-administrativo do Ministério da Fazenda. O cargo tem como requisito o ensino médio completo e possibilita ganhos iniciais de R$2.927,82. O concurso foi anunciado no início deste ano pelo coordenador-geral de Análise das Políticas de Desenvolvimento Organizacional e de Pessoas do Ministério da Fazenda, Paulo Godoy. Segundo ele, a seleção seria realizada ainda neste primeiro semestre, uma vez que servirá, em parte, para a substituição, até 31 de julho, de 433 terceirizados irregulares que atuam na Receita Federal. A abertura do concurso, porém, ainda depende de autorização do Ministério do Planejamento.

Antes disso, no entanto, o órgão ainda deverá ter que chamar os excedentes da seleção realizada no ano passado, para atuação apenas em São Paulo e Distrito Federal. Pedido nesse sentido já está sendo analisado pelo Planejamento. Segundo Godoy, o novo concurso deverá ter vagas em todos os estados (com possíveis exceções) e provas em todas as capitais. E caso seja mantida a estrutura da seleção anterior, os candidatos serão submetidos exclusivamente a provas objetivas (Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico, Conhecimentos de Informática, Direito Administrativo, Direito Constitucional, Arquivologia e Gestão Pública).
Fonte: Folha Dirigida
Saiba mais no SOS Concurseiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *