Home » News » Candidatos pedem cancelamento de etapa do concurso da PM em Goiás

Grupo protocolou denúncia contra a prova de aptidão física, nesta segunda. Eles afirmam que fiscais exigiram exercício diferente do que previa o edital.

Participantes do concurso da Polícia Militar (PM) de Goiás pedem a anulação da prova de aptidão física. Representantes dos candidatos entregaram uma denúncia ao Ministério Público de Goiás (MP-GO), na manhã desta segunda-feira (8), com 70 assinaturas, e apontam irregularidades na etapa da seleção.

Mais de 5,5 mil pessoas participaram da prova de aptidão física na primeira semana de julho. Essa foi a segunda etapa de um concurso que teve a primeira etapa anulada após suspeita de fraude nos gabaritos.

Segundo os candidatos, até agora 110 pessoas se disseram prejudicadas na avaliação. Em uma rede social, eles reclamam que o edital informava que o candidato deveria fazer até 42 abdominais em um ângulo de 45 graus. Seguindo essa orientação, não é preciso tirar as costas do chão.

Mas, na hora do teste, alguns examinadores teriam exigido que o candidato atingisse o ângulo de 90 graus, encostando os cotovelos na perna. A opção exige muito mais preparo físico.

A denúncia, protocolada em Goiânia, será encaminhada para a promotoria de Anápolis, a 55 quilômetros da capital, onde o promotor Marcelo Celestino abriu processo para investigar os concursos realizados pela Universidade Estadual de Goiás (UEG), que tem sede no município.

O promotor fez requerimento pedindo mais informações sobre o teste físico do concurso da PM. A UEG tem dez dias para dar a resposta.

Em março deste ano, a Justiça anulou sete concursos públicos do estado, organizados pela UEG, por suspeita de fraude no gabarito. Na época, a instituição afastou dois servidores e apresentou um novo cronograma para os certames.

O Ministério Público checou a pedir o afastamento da universidade da elaboração e aplicação dos concursos do governo. No entanto, a juíza Zilmene Gomide, da 1ª Vara da Fazenda Pública Estadual, decidiu manter a instituição à frente dos processos seletivos.

Fonte: G1

Saiba mais no SOS Concurseiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Login