Home » News » Funcionários da Rede Minas pedem clareza em concurso

Na manhã de segunda-feira, uma comissão formada por funcionários se reuniu com a Secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, para debater sobre a prova que será aplicada.

Funcionários da Rede Minas realizaram, ontem (22), um abraço simbólico na sede da emissora em protesto contra a onda de demissões, que teve início no primeiro semestre deste ano, e também contra a falta de clareza na realização do concurso público para contratação de pessoal. O movimento ganhou a adesão de ex-funcionários e telespectadores, totalizando aproximadamente 150 pessoas no bairro Sion, na região Centro-Sul da capital.

Durante a manhã, alguns funcionários formaram uma comissão que se reuniu com a secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, para discutir a situação da TV e o patrimônio educativo e cultural que ela representa. O encontro terminou no início da tarde, e não descartou a possibilidade de novas demissões nos próximos meses.

Os funcionários apontaram irregularidades na lei que determina a realização do concurso, e foram informados de que o edital será lançado em agosto. As provas devem acontecer em novembro, e uma equipe do governo deverá realizar possíveis correções no documento. As novas contratações de 388 profissionais deverão ocorrer gradualmente, a partir de março de 2014, com o objetivo de preservar a programação e o conteúdo da emissora.

Histórico
Em maio deste ano, os deputados estaduais aprovaram um projeto de lei que estabelece uma nova estrutura para o preenchimento das vagas na emissora, que deve ser feito por meio de concurso público. Segundo a lei, os jornalistas passariam a ter uma carga horária de 40 horas semanais. Atualmente, os funcionários contratados da Rede Minas trabalham sete horas diárias e ganham cerca de R$ 3 mil.

Em 2011, a empresa foi multada em R$ 3,8 milhões por não realizar concurso, como previsto em julho de 1004, em acordo assinado entre a emissora, o Ministério Público do Trabalho e o Ministério Público Estadual.

Resposta
A Secretaria de Estado de Cultura informou, por meio de nota, que ficou acertada com o Ministério Público e aprovada pela Assembleia Legislativa, a criação dos 388 novos cargos na empresa, além de um novo organograma para a Fundação TV Minas. Ainda de acordo com a nota, o Governo do Estado está preparando um concurso público para a contratação, em primeiro momento, de 114 técnicos e 89 analistas.

Fonte: O Tempo

Saiba mais no SOS Concurseiro

Na manhã de segunda-feira, uma comissão formada por funcionários se reuniu com a Secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, para debater sobre a prova que será aplicada.

Funcionários da Rede Minas realizaram, ontem (22), um abraço simbólico na sede da emissora em protesto contra a onda de demissões, que teve início no primeiro semestre deste ano, e também contra a falta de clareza na realização do concurso público para contratação de pessoal. O movimento ganhou a adesão de ex-funcionários e telespectadores, totalizando aproximadamente 150 pessoas no bairro Sion, na região Centro-Sul da capital.

Durante a manhã, alguns funcionários formaram uma comissão que se reuniu com a secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, para discutir a situação da TV e o patrimônio educativo e cultural que ela representa. O encontro terminou no início da tarde, e não descartou a possibilidade de novas demissões nos próximos meses.

Os funcionários apontaram irregularidades na lei que determina a realização do concurso, e foram informados de que o edital será lançado em agosto. As provas devem acontecer em novembro, e uma equipe do governo deverá realizar possíveis correções no documento. As novas contratações de 388 profissionais deverão ocorrer gradualmente, a partir de março de 2014, com o objetivo de preservar a programação e o conteúdo da emissora.

Histórico

Em maio deste ano, os deputados estaduais aprovaram um projeto de lei que estabelece uma nova estrutura para o preenchimento das vagas na emissora, que deve ser feito por meio de concurso público. Segundo a lei, os jornalistas passariam a ter uma carga horária de 40 horas semanais. Atualmente, os funcionários contratados da Rede Minas trabalham sete horas diárias e ganham cerca de R$ 3 mil.

Em 2011, a empresa foi multada em R$ 3,8 milhões por não realizar concurso, como previsto em julho de 1004, em acordo assinado entre a emissora, o Ministério Público do Trabalho e o Ministério Público Estadual.

Resposta

A Secretaria de Estado de Cultura informou, por meio de nota, que ficou acertada com o Ministério Público e aprovada pela Assembleia Legislativa, a criação dos 388 novos cargos na empresa, além de um novo organograma para a Fundação TV Minas. Ainda de acordo com a nota, o Governo do Estado está preparando um concurso público para a contratação, em primeiro momento, de 114 técnicos e 89 analistas.

Fonte: O Tempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *