Home » News » PA: Estudantes trocam praias por salas de aula

Descanso é palavra proibida para muitos paraenses nestas férias. Quem sonha com uma vaga no serviço público no Estado vai precisar esquecer, pelo menos por enquanto, o lazer e a diversão trazidos pelo mês de julho. Na corrida pela estabilidade, dizem os especialistas, cada minuto é fundamental.

“Tradicionalmente, julho é um mês em que as salas esvaziam. De maneira geral, o paraense ainda não incorporou a cultura da disciplina também nas férias, é uma consciência importantíssima que tende a ser incorporada com o tempo e que pode fazer total diferença”, diz Augusto Chaves, coordenador de um cursinho preparatório para concursos que apenas neste começo de mês contabiliza quatro turmas já formadas, cada uma com média de 130 alunos.

Muitos deles impulsionados por boas oportunidades que estão por vir. “Há pouquíssimo tempo para preparação e chances imperdíveis. Temos provas já marcadas para Polícia Rodoviária Federal e Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia e editais iminentes para Tribunal Regional do Trabalho e Tribunal Regional Eleitoral. Parar para as férias é ceder espaço ao concorrente”, alerta o professor, que também leciona língua portuguesa e redação.

METAS

Já ciente da batalha que tem pela frente, o universitário Rafael dos Santos Lopes, 21, estabeleceu como meta sair da faculdade já funcionário público e não medirá esforços para conseguir. Com pouco tempo disponível, ele diz não desperdiçar nem um segundo. “Vou para faculdade à noite e na volta ainda dou uma estudada. Venho para o cursinho à tarde e pela manhã tem o estágio, onde eu também dou uma olhadinha no conteúdo sempre que possível. Impossível parar de estudar nas férias e nos finais de semana”, afirma o concurseiro, que se prepara para alcançar uma das vagas de técnico judiciário do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que deve ter o edital lançado ainda esta semana.

Júlio César Soares, 34, é outro que busca uma vaga. Casado e com uma filha, ele resolveu deixar a profissão de vendedor de lado e se dedicar exclusivamente aos estudos. “De novembro para cá fiz quatro concursos, mas sinto que agora encontrei o melhor ritmo. Não deixo o cursinho desde maio. A turma termina no dia 19 e eu já começo uma nova turma só de exercício. Esse tempo e disciplina são essenciais para quem de fato tem um objetivo”, avalia Júlio César.

No caso do TRT, mesmo sem edital, a previsão é que as provas sejam realizadas no mês de setembro, quando também estão marcadas as provas da Superintendência da Amazônia – Sudam (22/09). Para o Banco da Amazônia, com inscrições encerradas, as provas estão marcadas para o próximo dia 14.

No mês que vem é a vez do certame para a PRF (11/08). “Concurso público é uma escolha de vida. O candidato abdica hoje para colher os frutos amanhã. Sem foco, determinação e disciplina, o êxito é improvável”, sentencia Augusto Chaves.

Fonte: Diário do Pará
Saiba mais no SOS Concurseiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Login