Home » News » Prova objetiva do concurso do TJAM para juiz substituto será no dia 17

Provas do concurso foram suspensas no dia 3 de junho deste ano. Ao todo, 1.259 candidatos se inscreveram para as 31 vagas ofertadas.

A prova objetiva do concurso público para o cargo de juiz substituto do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) será realizada no dia 17 de julho. O novo calendário, composto por cinco etapas, foi anunciado nesta sexta-feira (5) pelo presidente da Comissão dos Concursos do Tribunal, desembargador Aristóteles Lima Thury. A primeira prova estava prevista para o dia 5 de junho, mas foi suspensa por decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O exame ocorrerá no dia 17 de julho.

De acordo com o presidente da Comissão, na segunda, dia 8 de julho, conforme o novo cronograma do concurso, serão divulgados os locais e horários da prova objetiva no endereço eletrônico da Fundação Getulio Vargas (FGV Projetos). Ao todo, 1.259 candidatos de todo o País se inscreveram para as 31 vagas ofertadas. Cerca de 800 são do Amazonas.

Sobre o concurso de servidores, o desembargador explicou que não houve mudança nas regras. Também por decisão do CNJ foi feita uma retificação para a necessidade de apresentação de títulos em todos os níveis. As provas foram aplicadas no dia dez de junho.
Os aprovados devem começar a ser chamados a partir do mês de outubro.

O novo edital com o novo cronograma vai ser publicado no site do Tribunal de Justiça e também no site da Fundação Getúlio Vargas. O resultado final do concurso para juiz substituto será conhecido no dia 04 de julho de 2014.

Suspensão
A decisão do conselheiro sobre o Procedimento de Controle Administrativo nº 0002920-20.2013.2.00.0000, que tem como requerentes um casal, foi publicada na última sexta-feira (28). A prova para o concurso de juiz que estava marcada para o dia 05 de junho foi suspensa por determinação do conselheiro Saraiva para que fossem divulgados os novos integrantes da comissão do concurso e a indicação do representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) na banca examinadora da FGV Projetos, com prazo de cinco dias para impugnações, de acordo com a Resolução 75/2009-CNJ.

O conselheiro, em sua decisão, informa que ficou constatado nos autos o cumprimento das observações do CNJ. “Em acréscimo, registro que no último dia 13 de junho estive na sede do Tribunal, juntamente com o presidente da comissão do concurso, desembargador Aristóteles Lima Thury, e outras autoridades, entre elas o representante da OAB no concurso e o superintendente regional do Departamento de Polícia Federal no Amazonas, a fim de inteirar-me do andamento do concurso e não constatei nenhuma outra irregularidade. Em razão do exposto, revogo a decisão que suspendeu o concurso e autorizo o tribunal a prosseguir com o certame”, conforme trecho da decisão do PCA.

Fonte: G1
Saiba mais no SOS Concurseiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Login