Home » News » AGU lançará concurso para procurador com salário de R$ 15,7 mil

Os concurseiros já podem se preparar. Novo concurso para procurador federal, com salário de R$ 15.719,13, está previsto para ser lançado pela Advocacia-Geral da União (AGU). Os dados são do próprio órgão, que adianta que o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe/UnB) deverá ser a banca organizadora do certame. No entanto, o contrato ainda não foi assinado. Após esta assinatura, a previsão é que o edital de abertura seja publicado em 15 dias. Segundo o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), o processo para autorização do certame já está em análise. De acordo com a AGU, ainda não há informações sobre o quantitativo de vagas a serem ofertadas. Os estados de lotação serão definidos somente após o concurso interno de remoção.

Último certame
O último concurso público realizado para o cargo de procurador federal da AGU foi em 2010 e ofertou 111 vagas, além de cadastro reserva, com remuneração inicial é de R$ 14.549,53. A seleção exigiu bacharelado em direito, experiência profissional de no mínimo dois anos de prática forense e carteira da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O certame constou de duas etapas, sendo a primeira composta por prova objetiva, provas discursivas, prova oral, avaliação de títulos e sindicância de vida pregressa; e a segunda de avaliação em programa de formação.

O processo seletivo foi organizado pelo Centro de Seleção e de Promoção de Eventos Universidade de Brasília (Cespe/UnB). A prova objetiva, os exames discursivos e a entrega dos títulos foram realizados nas capitais dos 26 estados da Federação e no Distrito Federal. A avaliação objetiva teve duração de 5h.

Saiba mais
Em maio deste ano a AGU divulgou o resultado final do concurso público que ofertou 68 vagas para o cargo de advogado da União de 2ª categoria, com remuneração de R$ 14.970,60. No total, 100 candidatos foram aprovados e nomeados, sendo que dois se declararam com deficiência. O certame também foi organizado pelo Cespe/UnB.

Para participar, foi necessário ter diploma de nível superior no curso de direito, além de possuir registro na OAB e, no mínimo, dois anos de prática forense. Todos os concorrentes passaram por prova objetiva, inscrição definitiva, provas discursivas, prova oral, sindicância de vida pregressa e avaliação de títulos.

Fonte: Papo de Concurseiro / Correio Web
Saiba mais no SOS Concurseiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *