Home » News » MAPA quer liberar edital para 796 vagas ainda este ano

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), conforme adiantado pelo JC&E, confirmou que a escolha da empresa organizadora do concurso que disponibilizará 796 vagas em seus quadros será por meio de pregão eletrônico.  A justificativa por essa modalidade de licitação é de que assim o processo pode ser mais rápido, consonante com o desejo do órgão de divulgar o edital ainda este ano.

Oficialmente, a assessoria de comunicação do MAPA informa que todos os esforços estão sendo feitos no sentido de divulgar o edital de abertura bem antes do prazo – que vai até março de 2014 – mas a reportagem do JC&E apurou que a ideia é liberá-lo ainda em 2013.

O gabinete de recursos humanos do órgão não reconhece a lista com a distribuição do número de vagas vazada há poucos dias e observa que nessa fase do concurso, em que ainda não há uma organizadora definida e houve acréscimo de vagas, essa distribuição não é definitiva e que seria imprudente divulgá-la. No entanto, é tido como certo que haverá vagas em todas as regiões do Brasil.

Outras informações
Do total de oportunidades, 422 serão destinadas à reposição de pessoal. As outras 374 serão para substituição de terceirizados.

No nível fundamental, as ofertas são para auxiliar de laboratório. Para os níveis médio e técnico, as ofertas se concentram as funções de agente de atividades agropecuárias, agente de inspeção sanitária e industrial de produtos de origem animal, técnico de laboratório e técnico em contabilidade. Quem tem formação superior poderá concorrer a administrador, agente administrativo, bibliotecário, contador, economista, engenheiro, engenheiro agrônomo, geógrafo, fiscal federal agropecuário e psicólogo.

Os vencimentos oscilam entre R$ 2.570,02 e R$ 11.531,69.

Enrolado
Autorizado inicialmente em março deste ano, os preparativos para o concurso do MAPA foram marcados por questionamentos e reviravoltas.

O Instituto de Desenvolvimento Educacional, Cultural e Assistencial Nacional (IDECAN) foi escolhido por meio de dispensa de licitação para organizar o concurso e essa escolha suscitou suspeita de favorecimento, já que a empresa é dirigida por afiliados políticos do ministro da agricultura, Antônio Andrade (PMDB-MG).Depois que a polêmica ganhou os jornais, o MAPA revogou a dispensa de licitação e iniciou negociações com o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão(MPOG) para a ampliação do prazo que dispunha para publicar o edital. Justamente para fugir de novas polêmicas, o MAPA procederá a escolha do organizador de seu concurso por meio do pregão eletrônico.

Fonte: JC Concursos
Saiba mais no SOS Concurseiro.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *