Home » News » Cespe/UnB garante continuidade do concurso da PC/DF

A banca do concurso público da Polícia Civil do Distrito Federal, o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cespe/UnB), afirmou ao CorreioWeb que o flagrante de um policial militar usando aparelho celular durante as provas não prejudicará a continuidade da seleção. Segundo a organizadora, trata-se de um fato isolado e que foi resolvido imediatamente: “durante um dos procedimentos de segurança adotados, identificou-se um candidato que realizava as provas portando aparelho celular, prática proibida conforme edital. Conforme previsto no mesmo item, o candidato foi eliminado”. A banca ainda afirmou que contou com o apoio e aparato de segurança da própria Academia de Polícia Civil do Distrito Federal (APCDF) no dia dos exames.

Entenda o caso
Um policial militar foi preso após ser flagrado utilizando um aparelho celular durante as provas do concurso da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), no último domingo (10/11). O suspeito fazia a avaliação na faculdade Iesb, na Asa Sul. De acordo com a Polícia Civil, o suspeito foi encaminhado a 1ª Delegacia de Polícia e autuado em flagrante por infringir o Código Penal. Segundo o artigo 311-A, a pena para quem compromete a credibilidade de um concurso público é de um a quatro anos de reclusão e multa.
O concurso
O certame oferece 300 vagas imediatas (além de formação de cadastro reserva com 600 chances) para agentes da corporação. O salário do cargo é de R$ 7.890,05 para jornada de 40 horas semanais. Segundo o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cespe/UnB), a banca organizadora, foram contabilizados 28.472 inscritos, o que gera uma concorrência média de 94 candidatos por chance.

As provas foram compostas por questões de língua portuguesa, noções de informática, raciocínio lógico, atualidades, noções de direito constitucional, administrativo, penal, processual penal, legislação específica e penal extravagante. A seleção também conta com teste de capacidade física, avaliação psicológica, sindicância de vida pregressa, investigação social, avaliação de títulos e curso de formação profissional.

Para participar do certame é preciso ser formado em qualquer curso de nível superior e ter carteira nacional de habilitação de categoria ‘B’. Quinze chances são reservadas a pessoas com deficiência.

Fonte: Correio Web / Papo de Concurseiro
Saiba mais no SOS Concurseiro.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *