Home » News » Prova atrasa uma hora e candidatos desistem de concurso da Eletrobras

200 candidatos se reuniram para registrar um Boletim de Ocorrência. Prova estava prevista para iniciar às 14h e chegou somente às 15h.

Tumulto e muita confusão. Esse foi o cenário deste domingo (10) em algumas escolas de Teresina onde aconteceu a aplicação das provas para o concurso da Eletrobras Distribuição Piauí. Na Unidade Escolar Álvaro Ferreira, bairro Piçarra, Zona Sul da capital, 200 candidatos desistiram do concurso após as provas chegarem com uma hora de atraso e em caixas abertas. O grupo chegou a fazer uma lista para registrar Boletim de Ocorrência na delegacia. A prova deveria começar às 14h, mas o material chegou às 15h.

O G1 esteve na escola e ouviu relatos dos candidatos. Uma delas, Páua Lima Soares, que concorreria para o cargo de assistente administrativo, disse que uma representante da empresa EPL Concursos, organizadora do concurso, chegou com as provas em uma caixa aberta e não deu explicações para o atraso. Segundo a candidata, em nenhuma das salas havia identificação e nem mesmo os fiscais de prova usavam crachás.

“Essa pessoa entregou as provas para a diretora da escola e mandou que ela repassasse aos fiscais para que elas fossem aplicadas. Muita desorganização porque em nada havia identificação, nem mesmo os fiscais estavam identificados”, relatou.

Nivaldo Campos, que também concorreria a uma das vagas para assistente administrativo, disse que o horário previsto para o fechamento dos portões não foi obedecido e durante um bom tempo observou o entra e sai de candidatos.

“Um verdadeiro absurdo não ter segurança para cumprir o edital. Além das salas não estarem identificadas, os horários não foram cumpridos e não tinha ninguém para orientar a gente”, disse.

Diante da situação, os candidatos se revoltaram e se recusaram a fazer o teste. A polícia foi chamada e um grupo chegou a ir ao 6º Distrito Policial para registrar boletim de ocorrência.

Pessoas que estavam fazendo provas em outros locais chegaram a ir até a Unidade Escolar Álvaro Ferreira levando as provas e algumas respostas.

Fredson Marcos, que fez o concurso no Campus Clóvis Moura da Universidade Estadual do Piauí, no bairro Dirceu Arcoverde, Zona Sudeste, disse que os ficais de prova não recolheram materiais como celulares e relógios e que também não barraram a saída de candidatos com as provas antes do horário previsto.

“Uma hora depois que entregaram a prova eu terminei e saí com o material sem ninguém me barrar”, disse Fredson.

De acordo com Simone Brito, diretora da escola onde aconteceu o tumulto, as provas realmente foram entregues com atraso e estavam em uma caixa aberta e quem em nenhum momento recebeu da empresa explicações para o fato.

“Eu cheguei a ligar várias vezes para a empresa, mas ninguém me atendeu. Também solicitei no dia anterior a prova que o material de identificação fosse enviado, mas a solicitação não foi atendida”, disse.
Na Unidade Escolar James de Azevedo, no bairro Alto Alegre, Zona Norte, pelo menos 14 candidatos não receberam as provas. O problema aconteceu na sala 9, porque o envelope com o material não foi enviado para a escola, enquanto que nas demais turmas as provas chegaram, mas em envelopes violados.

“A diretora da escola sugeriu que as provas que sobraram das outras turmas fossem repassadas para nós. No entanto, as outras salas estavam fazendo exames para áreas diferentes da nossa. Um absurdo. Diante disso, a diretora pediu que fizéssemos a queixa para a organizadora do concurso, mas ninguém apareceu e fomos para o 7º Distrito Policial e lá encontramos pessoas de outras escolas com relatos bem parecidos”, disse Alessandro Fontes.

O G1 tentou contato com a EPL Concursos através de e-mail e telefone, mas até a publicação da reportagem nenhum retorno foi dado para o problema.

O concurso da Eletrobras Distribuição conta com 50 vagas de níveis médio e superior. Segundo o edital, os contratados serão submetidos ao regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e receberão salários que variam de R$ 1.809,19 a R$ 5.763,00 em jornada de 40h semanais.

Fonte: G1
Saiba mais no SOS Concurseiro.com.br

3 Comments

  1. Vanessa Nunes disse:

    Essa prova merece uma anulação. . . Uma falta de organização tremenda. . .

  2. josé alberto disse:

    Esse concurso foi uma vergonha, desorganização total.

  3. josé alberto disse:

    Essa tal APL, não sabe organizar nem brincadeira de amarelinha, imagine concurso público. kkkkkkkkkkkkkk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *