Home » News » Abertas 129 vagas de delegado da Polícia Civil/SP

Saiu, nesta quarta-feira (18), o edital da Polícia Civil do Estado de São Paulo que regerá o concurso para delegado da corporação. Ao todo, serão selecionados 129 candidatos, sendo seis portadores de deficiência.

Dentre as oportunidades, 25% estão na capital paulista, 25% são para a Grande São Paulo (menos a capital) e 50% serão preenchidas no interior do Estado.

Para se candidatar, porém, é preciso ser bacharel em direito e ter, no mínimo, dois anos de atividades jurídicas ou dois anos de atividade em cargo de natureza policial civil, além de ter carteira de habilitação. A carreira oferece remuneração de R$ 7.516,02 (salário base e Gratificação pelo Regime Especial de Trabalho Policial – RETP) para jornada mínima de 40 horas em condições precárias de segurança, com possíveis chamadas a qualquer horário e plantões noturnos.

Inscrições serão aceitas a partir das 10h de 23 de dezembro, por meio do site da Fundação Vunesp (www.vunesp.com.br), organizadora do processo seletivo. Será possível se inscrever até as 16h de 24 de janeiro, pagando uma taxa no valor de R$ 63,92.

Estudantes regularmente matriculados no ensino médio, em curso pré-vestibular, na graduação ou na pós-graduação que recebam menos de dois salários mínimos ou estejam desempregados podem solicitar 50% de abatimento na taxa de participação. O requerimento será aceito de 23 a 25 de dezembro.

O processo seletivo compreenderá prova preambular, prova escrita, exame oral, prova de aptidão psicológica, prova de aptidão física, investigação social e avaliação de títulos.

Primeira etapa da seleção, a prova preambular será aplicada no dia 23 de fevereiro, com questões de direito constitucional e direitos humanos (16); direito penal (16); direito processual penal (16); direito administrativo (16); legislação especial e informática (12); criminologia e medicina legal (12); e direito civil e lógica (12).

Aprovados serão responsáveis por dirigir a Polícia Civil do Estado de São Paulo e praticar atos inerentes à gestão da atividade; presidir os atos de polícia judiciária e a apuração das infrações penais; conduzir a investigação criminal e atividades relacionadas (inclusive as previstas nos artigos 6º e 301 do Código de Processo Penal e no artigo 69, da Lei nº 9.099/95); atuar em campo, com possibilidade de exposição a situações de conflito armado; e mediar conflitos.

Fonte: JC Concursos
Saiba mais no SOS Concurseiro.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Login