Home » News » Anac/Antaq: Agências preparam concursos para 588 vagas de níveis médio e superior

Duas agências reguladoras estão esperando o Ministério do Planejamento aprovar a realização de concursos: a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), vinculada ao Ministério dos Transportes, e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O pedido da Antaq avançou nesta quinta-feira, dia 12 de dezembro, e agora está na Coordenação-Geral Jurídica de Recursos Humanos. Desde 9 de dezembro, a requisição teve um avanço significativo, tendo passado pela Secretaria de Gestão, Departamento de Planejamento das Estruturas e da Força de Trabalho, Assessoria Técnica e Administrativa e Consultoria Jurídica. A solicitação é de 202 vagas, sendo 23 para técnico administrativo, 80 para técnico em regulação de serviços de transportes aquaviários, cargos que requerem o nível médio, e ainda 22 para analista administrativo e 77 para especialista em regulação de serviços de transportes aquaviários, de nível superior.

Já o requerimento da Anac continua no Departamento de Planejamento das Estruturas e da Força de Trabalho, setor onde está desde setembro. Somente após a autorização do Planejamento é que os detalhes da seleção serão definidos. Nesse caso, é pedida autorização de 386 vagas nas funções de técnico administrativo, técnico de regulação de aviação (nível médio), especialista em regulação de aviação e analista administrativo (superior). A distribuição das vagas ainda não foi informada. Em ambas as agências, as remunerações são de R$5.138,18 para técnico administrativo, R$5.357,98 para técnico (em regulação, na Antaq, e de aviação, na Anac), R$9.636,20 para analista e de R$10.392,20 para especialista. Todos os valores já incluem R$373 de vale-alimentação.

A última seleção da Antaq foi realizada em 2009 e organizada pelo Cespe/UnB. Na ocasião, os participantes passaram por provas objetiva e discursiva. Para o cargo de especialista ainda houve análise de títulos e curso de formação. Ainda não estão definidas as localidades que farão parte do próximo concurso. Em 2009, as oportunidades foram para Brasília/DF, Belém/PA, Manaus/AM, Porto Velho/RO, Fortaleza/CE, Recife/PE, Salvador/BA, São Luís/MA, Corumbá/MS, Rio de Janeiro/RJ, São Paulo/SP, Vitória/ES, Florianópolis/SC, Paranaguá/PR e Porto Alegre/RS.

Já o último concurso da Anac foi em 2012 e também organizado pelo Cespe/UnB. Os candidatos passaram por provas objetivas, discursivas e de títulos, sendo a última apenas para as funções de nível superior. Houve ainda o curso de formação, somente para os especialistas em regulação de aviação. Na ocasião, foram contemplados o Distrito Federal, Rio de Janeiro e São Paulo. Além desses estados, a agência possui unidades em São José dos Campos (SP), bem como 21 núcleos de aviação civil espalhados pelas demais capitais e outras localidades do país, além de um centro de treinamento, no Rio. Também não houve definição de quais localidades farão parte da seleção.

Especialista dá dicas de preparação
Quem deseja concorrer a uma das 588 vagas que deverão ser oferecidas, em 2014, pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) não deve esperar até que os editais sejam divulgados para iniciarem os estudos. A dica é do professor de Direito Constitucional e diretor acadêmico do site “Questões de Concurso”, Fernando Bentes. O especialista analisa que os as provas de agências reguladoras costumam ser divididas em duas maneiras: matérias básicas e específicas. “Como as disciplinas específicas valem mais pontos, são consequentemente as mais difíceis e também as primeiras a serem analisadas no critério de desempate. Por isso, os candidatos devem dar uma maior atenção a elas”, orienta Fernando.

Fernando Bentes também afirma que o nível de cobrança não é mesmo para os cargos de nível médio e para os do superior. “Para as funções do nível superior, a competição é menor, porém a cobrança é maior. Já para o nível médio, ocorre exatamente o contrário”, ressalta. O especialista acredita que os dois concursos serão organizados pelo Cespe/UnB, assim como aconteceu nas seleções anteriores. Como os exames desta banca, são no estilo “certo ou errado”, Fernando Bentes faz um alerta. “O concorrente só deve responder a um item quando tiver certeza absoluta da resposta. Se ele tiver dúvida, deve relê-lo com atenção, até encontrar a alternativa correta. Mas o importante é que eles não deixam de assinalar todas as questões da prova”, adverte. De acordo com Fernando Bentes, os participantes devem, primeiramente, estudar pelas avaliações anteriores das duas agências. Depois, por provas aplicadas pelo Cespe em outros concursos similares. “Resolver questões é a melhor forma de fixar o conteúdo estudado”, finalizou.

Fonte: Folha Dirigida
Saiba mais no SOS Concurseiro.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Login