Home » News » TJ/RJ sinaliza abertura de novo concurso para área de apoio

O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ) deverá abrir novo concurso público para a área de apoio nos próximos meses. De acordo com a Assessoria de Imprensa do órgão, há intenção da presidente do TJ-RJ, desembargadora Leila Mariano, de iniciar os preparativos de uma seleção após o término o prazo de validade do concurso de 2012, o que ocorrerá em 18 de maio para técnico judiciário e 6 de junho para analista judiciário. A abertura do concurso estaria, no entanto, condicionada a um levantamento em todos os setores do TJ-RJ para a identificação das demandas. Isso feito, elas seriam estudadas a fim de serem oferecidas em nova seleção. Embora o TJ-RJ tenha convocado, até o momento, 650 técnicos judiciários e 389 analistas judiciários, é grande o quantitativo de processos em tramitação no órgão, o que demanda sempre a contratação de novos servidores.

O cargo de técnico judiciário exige o nível médio, já o de analista, formação superior. Para esta última função, dependendo da especialidade, pode ser exigida graduação em qualquer área ou em formação específica. As remunerações são de R$ 2.673,87 para técnico e de R$ 4.403,79 para analista. Como existe a intenção de se abrir nova seleção ainda este ano para a área de apoio, especialistas na área de concursos orientam os candidatos a já iniciarem a preparação (veja matéria nesta página), tendo em vista que a concorrência costuma ser muito grande, além de ser extenso o conteúdo a ser estudado para as provas.

Último concurso – O último concurso foi em 2012, atraindo mais de 100 mil inscritos na disputa por 284 vagas, sendo 71 para técnico de atividade judiciária e 213 para analista judiciário. Foram 53.087 para a primeira função e 47.234 para a segunda (29.091 sem especialidade e 18.143 com especialidade). Na 1ª Região, que engloba o Fórum Central e Varas Regionais da Capital no Rio de Janeiro, foram  59.883 concursandos, com destaque para os 32.102 ao cargo de técnico de atividade judiciária sem especialidade e os 17.946 a analista judiciário sem especialidade. Além das vagas para técnico judiciário, foram oferecidas oportunidades para analista sem especialidade (formação superior em qualquer área) e para psicólogo, assistente social, execução de mandados, bibliotecário, técnico de comunicação social, médico e comissário de justiça da infância, da juventude e do idoso.

Especialistas orientam início imediato dos estudos
Quem almeja uma vaga no TJ-RJ deve começar o quanto antes seus estudos, não só por se tratar de um dos concursos mais concoridos do Estado do Rio de Janeiro, mas pelo perfil exigente de suas provas, que costumam ter notas de corte altas. Embora o concurso não tenha sido oficialmente confirmado, especialistas orientam que os interessados já iniciem os estudos tomando como base o conteúdo programático da útima seleção, realizada 2012. Para o Alexander Ruas, diretor e professor do curso Multiplus, o programa não deverá sofrer mudanças.

“No último concurso as mudanças já foram bem significativas, com a cobrança de novas disciplinas. Muito provavelmente, no próximo edital, o conteúdo será mantido. Para quem quer sair na frente, os editais da Fundação Carlos Chagas (FCC) de 2012 e do Cespe 2008 devem ser os referenciais”, disse. Para o especialista, o estudo deve ser focado em Português, Informática, Codjerj, consolidação normativa e Estatuto Estadual- Decreto-Lei nº 220. “Entre as disciplinas básicas, é importante ainda dar atenção às matérias processuais (Processo Civil e Penal), que têm sido cobradas constantemente nos concursos dos tribunais, como o TRF e a Defensoria Pública”, indica.

Alexander Ruas diz ainda que, dos quatro grandes tribunais no Rio, o TJ-RJ é o que tem chances reais de abrir concurso, um motivo a mais para os concurseiros focarem na preparação. “O fim do prazo de validade do concurso de 2012 está próximo e não haverá impedimento para o TJ lançar novo edital, ao contrário de outros tribunais. O espaço foi ampliado e há uma carência de analistas e técnicos para essa nova realidade. A hora é essa de garantir a vaga e ter o melhor patrão de todos, que é o governo.”

O especialista em concursos Paulo Estrella, diretor pedagógico da Academia do Concurso, concorda que essa é a hora de iniciar os estudos. “As notícias estão esquentando, o que sinaliza a proximidade do concurso. Nesse momento, a única referência é o edital de 2012 e, como é bastante recente, a probabilidade de mudanças é bem reduzida, o que favorece quem estuda com antecedência”. Ele acredita que, se a FCC for mantida como organizadora, não haverá surpresas e o candidato terá 100% do seu esforço aproveitado. Caso nova banca seja escolhida, ele terá de iniciar o mais rápido possível a resolução das questões da nova banca, para ajustar o estudo às características da organizadora.

“Nesse momento, o interessado não deve se preocupar com o peso de cada uma das matérias, mas em nivelar o conhecimento das disciplinas. Como temos algum tempo, nenhuma deve ser negligenciada. O candidato deve se esforçar para ter mais tempo de estudar as matérias que possui menos conhecimento”. Ele sugere baixar na internet a prova de 2012 e resolvê-la sem consulta. “Depois de conferir o gabarito, o candidato terá a primeira visão de performance e desempenho. A partir desse ponto, ele já pode organizar seus estudos para corrigir os desvios de desempenho. Esse modelo deve permear todo o estudo do candidato, não precisa ficar preso às últimas provas do TJ, mas deve estar baseado nas questões da FCC.”

Fonte: Folha Dirigida
Saiba mais no SOS Concurseiro.com.br

39 Comments

  1. Lirio disse:

    E lamentável ler esse tipo de noticia sabendo que o referido órgão simplesmente deixou de convocar centenas de candidatos aprovados no concurso ainda vigente e que expira em maio. Se e assumida a carência de funcionarios e se existe orçamento para um novo concurso, por que nao convocar os que ja aguardam desde 2012? E triste concluir que a legalidade cedeu espaço a politicagem ate mesmo no âmbito dos nossos tribunais. Quando Joaquim rasgou a Constituição ele apenas literalizou a realidade da gestao da coisa publica nesse pais. E aqui sigo eu, aprovada em vigésimo quinto lugar para os quadros do Tjrj, aguardando desde 2012 a convocação que nao vem.

    • João Paulo Ribeiro disse:

      Prezada por gentileza explique melhor sua situação. Se a matéria fala que foram chamados 650 técnicos e 389 analistas, como você que se classificou em vigésimo quinto não foi chamada? Grato

    • Andre disse:

      Tinha a impressão que já era pacífico que o aprovado dentro do número de vagas faz jus à convocação. Vc não pode entrar com um mandado de segurança, considerando exatamente o que ponderou?

    • Eliane disse:

      Foram feitas novas convocações, 25ª é Gabriela , é vc Lirio?
      http://www.tjrj.jus.br/documents/10136/1223281/aviso-30-convocacao.pdf

    • FABIANO disse:

      Aprovada na posição de numero 25 e não foi convocada? Estranho isso…e já querem fazer novo concurso? Se o concurso é pra cobrir carencia de pessoal, porque as pessoas aprovadas em concursos anteriores não são empossadas no cargo? Me soa estranho

    • Karla Cristina Cruz Penna disse:

      Lirio, boa noite, pq vc não tenta impetrar um mandado de segurança, para ver se consegue sua vaga, s e quiser tentar, meu nome é Karla, sou advogada, meus telefones são: 987767191 e 32386109.

  2. Denise disse:

    Concordo! não fiz o concurso anterior, mas também achei tudo um absurdo! Serve de exemplo pra quem vai fazer o próximo concurso, como eu!

  3. Márnea disse:

    Repugnante a postura da atual Presidente do TJ/RJ, pois embora tendo TOTAL consciência da necessidade e da vergonha que são os cartórios, varas do Tribunal, ainda levanta a hipótese de abertura de novo concurso, desconsiderando a espera dos aprovados do último concurso. Isso só ratifica que vivemos em um país onde tudo gira em torno da política suja, jogo de interesses, que infelizmente já adentrou até os “Tribunais” que era para ser, em tese, um órgão que pudesse servir de modelo. No entanto, o que vemos? Total falta de respeito e consideração com aqueles que dedicaram grande parte de seu tempo, estudando, se dedicando, abdicando de estar com a família para estudar para um concurso que por tremendo “jogo de interesses dentro do próprio Tribunal” vai deixar de convocar os candidados devidamente APROVADOS, sim candidatos APROVADOS! Não estamos falando aqui de pessoas que estão “mendingando” uma indicação ao cargo por conhecer fulando/beltrano ou ciclano, estamos falando de seres humanos, pais e mães de família, filhos, estudantes que mostraram o seu potencial e foram aprovados, mas que por uma verdadeira VERGONHA vão deixar de ocupar os cagos, que por DIREITO deveriam ser ocupados por eles e não por aqueles que nasceram na família de amigo tal, primo tal e filho disso/aquilo … ACORDEM CANDIDATOS e corram em busca o que é de vcs, pois os dias estão se passando e Junho está logo aí ! Gritem, reivindiquem, falem, pois se vocês não fizerem isso, ninguém irá fazer por vocês… Presidente Leila Mariano, espero sinceramente que você não faça essa injustiça, pois hoje você tem o poder de decisão, mas amanhã esse seu poder será cobrado e Deus (Que é o maior de todos) está testando você… Acorde enquanto ainda é tempo !!! VAMOS CANDIDATOS APROVADO EM 2012, vamos lutar com garra e determinação, da mesma maneira que foram no dia do concurso e conseguiram se aprovados.

    • Juan Gutierrez disse:

      Prezada Máena, de fato é repugnante. Concordo contigo em gênero, número e grau. Outro dia estava num cartório de uma Vara Cível do TJ/RJ, e tinham processos de outubro de 2013 com uma série de pendências administrativas. A chefe do referido Cartório questionou exatamente isso. A razão pela qual diversos candidatos que haviam sido aprovados em concurso para lá laborar até agora ñ terem sido chamados.

  4. giuliano disse:

    srta norato é vc?

  5. Leonir Ramos . disse:

    Esenlent emprego

  6. Leonir Ramos . disse:

    Bom

  7. Marcelo disse:

    Amigo, sem te conhecer estou muito triste por vc. Tenho certeza que vc estudou muito, e desde já te parabenizo pela excelente colocação no certame. Tb sou concurseiro.

  8. GSB disse:

    FAÇO CORO COM A JOVEM DO COMENTARIO ANTERIOR!!! ATÉ QUANDO ESSA MOLECAGEM E NEFASTO DESFECHO SERÁ PRERMITIDO EM NOSSO PAIS, E/OU ESTADO “DEMOCRÁTICO DE DIREITO”???

  9. lucinete disse:

    Agora com esta declaraçao fiquei desanimada o meu sonho e passar neste concurso, mas ouvindo a colega em quem confiar se onde deveria haver justiça a verdade ocorre ao contrario fica dificil.

    • Rosa disse:

      Não fique assim. Sou estagiária do TJRJ e conheço várias pessoas que estão sendo chamadas esse ano e também que foram chamadas no ano passado.
      Não desanime! Estude para passar em uma boa colocação e não precisar ficar esperando até o final do prazo. Boa sorte!

  10. Eliseu Oliveira de França disse:

    eu queria receber sempre enformações sobre quando vai abrir o concurso , eu estou estudando , estou fazendo o ensino medio, e gostaria de receber , enformaões sobre os concursos , eu tenho 48 anos e estou terminando o ensino medio ok.

  11. MAGDA disse:

    Pessoal, canditado aprovado dentro do número de vagas tem direito a ser convocado e exercer sua função, já tem juris sobre o assunto no supremo, entre com mandado de segurança e façam valer seus direitos.

  12. Lívia Maria Silva Souza disse:

    Minha filha passou em 15º lugar e não foi convocada, hoje (06/05/2014) ela convocou o 11º lugar, até agora só 11 candidatos foram convocados, Presidenta Leila Mariano, peço que revise os seus conceitos e haja de forma correta e respeitosa com os candidatos pois todos estudaram muito, fora que o concurso é caro. Chega de tanta HIPOCRISIA E INJUSTIÇA NESTE PAÍS.

    • sidonio souza disse:

      Sra Livia, seu caso sim, merece atenção….puxa 15º lugar!…imagino o esforço de sua filha….e chamarem só 11?….fato é que pela reportagem, eles considerarão expirado, vencido o concurso anterior, e seguirão com o novo.
      o que posso fazer, é não concorrer….vou dessistir de fazer este concurso.

      abraços e boa sorte.

  13. Hugo Bittencourt disse:

    Eu vou realizar o próximo concurso, alguém pode me da umas dicas ?

  14. Laerte disse:

    A questao e simples. O candidato, no ato da inscricao escolhe a regiao que quer concorrer. Tem regiao que chama mais, outras menos. Por isso, e possivel que alguem na 25 posicao nao tenha sido chamado e outro na 650 sim.

  15. larissa disse:

    Gente, pelo amor… se vc fez pra regiao x, passou em decimo quinto, e so chamaram 11, atente se pra sua regiao n tinha umas 5 vagas. Todos os quadros chamaram alem das vagas. Acho uma pena uma pessoa tao bem colocada nao ser convocada, mas… vamos raciocinar galera!

    • Demi disse:

      Nossa… Até que enfim vejo um comentário justo!
      Poxa pessoal é preciso prestar atenção no edital. O concurso é realizado por regiões. Se uma região colocou quatro vagas disponíveis e convocou cinco pessoas já está acima do que estava previsto ( Aprovado pode, ou não, ser classificado)
      Concordo com os colegas que disseram que os cartórios estão defasados, e, que os jogos de interesse dominam realmente o cenário do poder judiciário ( porém onde não há jogos de interesse?) O importante é estudar para tirar em primeiro lugar. Se não deu tente novamente… Sei que é duro ler isso mas é a realidade! Quem entra no jogo dos concursos não pode se conformar em ser menos que o melhor. Viva o luto pela prova e passe por cima dele se preparando para a próxima…
      Sejamos justos se forem no site do TJRJ e acompanharem o DJ eletrônico no que tangem convocações o último concurso convocou muito mais do que previu no edital segue o link: http://www.tjrj.jus.br/web/guest .
      Desculpem se ofendo,.. mas se sentirem ainda injustiçados entrem com mandato de segurança contra o TJ, corram atrás!!!! Agora lamentar-se em um site e desestimular quem quer se dedicar… Isso sim é muito feio!!!!

    • Rosa disse:

      Exatamente!!!!
      Vamos ler o edital, galera!

  16. luiz eduardo disse:

    ”Com certeza desanima muito,quando pensamos nos esforços,Com preparatórios, apostilas, tempo etc..
    e quando chega no final”’ prevalecem. A ganância e a corrupçâo””” dos bandidos de terno e gravata. É F…..

  17. DUDU disse:

    ISSO É MUITO TRISTE!!!

  18. Érika Campos C. de Sá disse:

    Minha irmã passou em 40º lugar e já está trabalhando.

  19. Rodrigo Lourenço disse:

    Antes de 2006, a aprovação em concurso público gerava apenas a expectativa de direito à vaga. Hoje a coisa está da seguinte forma:
    * Aprovação e classificação (dentro do numero de vagas em edital) geram DIREITO ADQUIRIDO de ocupar a vaga.
    *se aprovado , mas não dentro das vagas previstas em edital, a pessoa tem DIREITO ADQUIRIDO de ser chamada, caso ocorram desistências. Ex: 10 vagas, vc é o 11º colocado, havendo uma desistência ou não comparecimento, DIREITO ADQUIRIDO pra vc.
    *Se, dentro do prazo de validade, ocorrer vacância, DIREITO ADQUIRIDO de ser chamado
    *Não há ilegalidade em ocorrer novo concurso, mesmo q para o mesmo cargo, e mesmo q dentro do prazo de validade do anterior. O q acontece é q os aprovados no concurso anterior tem PRIORIDADE em relação ao concurso mais atual; ou seja, só pode chamar o 1º colocado do novo concurso, depois de ter chamado o último do anterior.
    *Essa aqui quase ninguém sabe: Se, durante o prazo de validade do concurso, houver vaga ( o quadro funcional não está completo, mas a instituição não está chamando aprovados); o candidato pode (e deve) impetrar mandado de segurança, pq essa situação tb gera DIREITO ADQUIRIDO.

  20. jesse souza disse:

    Doutora, me ajuda a entrar com ms tbm , mais em outro concurso.

  21. New Carv disse:

    O Superior Tribunal de Justiça (STJ) avançou na questão relativa à nomeação e posse de candidato aprovado em concurso público. Por unanimidade, a Quinta Turma garantiu o direito líquido e certo do candidato aprovado dentro do número de vagas previstas em edital, mesmo que o prazo de vigência do certame tenha expirado e não tenha ocorrido contratação precária ou temporária de terceiros durante o período de sua vigência.
    O concurso em questão foi promovido pela Secretaria de Saúde do Amazonas e ofereceu 112 vagas para o cargo de cirurgião dentista. O certame foi realizado em 2005 e sua validade prorrogada até junho de 2009, período em que foram nomeados apenas 59 dos 112 aprovados.
    Antes do vencimento do prazo de validade do concurso, um grupo de 10 candidatos aprovados e não nomeados acionou a Justiça para garantir o direito à posse nos cargos. O pedido foi rejeitado pelo Tribunal de Justiça do Amazonas com o argumento de que a aprovação em concurso público gera apenas expectativa de direito à nomeação, competindo à administração pública, dentro do seu poder discricionário, nomear os candidatos aprovados de acordo com sua conveniência e oportunidade, ainda que dentro do número de vagas previsto em edital.
    O grupo recorreu ao Superior Tribunal de Justiça. Acompanhando o voto do relator, ministro Jorge Mussi, a Turma acolheu o mandado de segurança para reformar o acórdão recorrido e determinar a imediata nomeação dos impetrantes nos cargos para os quais foram aprovados.
    Ao acompanhar o relator, o presidente da Turma, ministro Napoleão Nunes Maia, ressaltou que o Judiciário está dando um passo adiante no sentido de evitar a prática administrativa de deixar o concurso caducar sem o preenchimento das vagas que o próprio estado ofereceu em edital. Segundo o ministro, ao promover um concurso público, a administração está obrigada a nomear os aprovados dentro do número de vagas, quer contrate ou não servidores temporários durante a vigência do certame.
    Em precedente relatado pelo ministro Napoleão Nunes Maia, a Turma já havia decidido que, a partir da veiculação expressa da necessidade de prover determinado número de cargos através da publicação de edital de concurso, a nomeação e posse de candidato aprovado dentro das vagas ofertadas transmuda-se de mera expectativa a direito subjetivo, sendo ilegal o ato omissivo da administração que não assegura a nomeação de candidato aprovado e classificado até o limite de vagas previstas no edital, por se tratar de ato vinculado.
    Falando em nome do Ministério Público Federal, o subprocurador-geral da República Brasilino Pereira dos Santos destacou que, antes de lançar edital para a contratação de pessoal mediante concurso público, a administração está constitucionalmente obrigada a prover os recursos necessários para fazer frente a tal despesa, não podendo alegar falta de recursos financeiros para a nomeação e posse dos candidatos aprovados.

    Fonte: Superior Tribunal de Justiça

  22. rafael de olievira dias disse:

    Sou completamente contra concursos organizados por regiões! Sem dúvida alguma isso fere os princípios da isonomia, moralidade e legalidade!

  23. Gabi disse:

    Foi tudo de acordo com o edital, legalmente não há o que falar do último concurso. A questão é que historicamente o TJ chama muito mais do que chamou nesse de 2012. Por ex, nos ultimos 3 concursos anteriores ao de 2012, para o cargo de tecnico, só para a capital, eles chamaram mais de 1.000 aprovados. É só você pega os números desse concurso de 2012 e comparar, é revoltante. Existia uma expectativa de grande convocação, que não ocorreu. Eles falam em carencia, mas não convocam. Pegou muito mal, pq todos sabem da necessidade e do historico desse concurso. É pra ficar cabreiro. Quem tem disposição para estudar, tem que fazer mesmo, mas pensando em passar no numero de vagas, pq fora isso não vale a pena. Esse concurso não é confiavel. Tem que se garantir no edital. Ou seja, estude pra ficar entre os 30, 20 primeiros.

  24. Thiago disse:

    É realmente lamentável que certas pessoas prestam um concursos sem, sequer, ler o E-D-I-T-A-L. Muito se fala em seus direitos e se esquecem de suas obrigações, no caso, conhecer, informar-se, enfim, saber das regras que tangem um certame tão difícil e concorrido como esse. Se são 5 vagas para uma determinada região, são 5 vagas. Qual a dificuldade do entendimento? E ainda ficam se lamentando aqui desestimulando os futuros candidatos.

  25. ana disse:

    Olá, gostaria de saber se não tem que haver um tempo entre o fim do concurso e a abertura de outro, ou pode-se lançar edital assim que o concurso anterior se acaba.

  26. Tinoco disse:

    Realmente, as pessoas não admitem que estudaram pouco, preferem por a culpa na banca, é mais fácil que estudar. Passei em 3 concursos e não fui chamado mais adimiti que o erro foi meu e estudei dobrado. Hoje ocupo uma vaga no banco central.

    • Sueli Schinaider disse:

      Puxa Saco não leva a lugar nenhum. Criticar os outros é fácil quero ver estar no lugar de cada um q se esforçou e ta aí sem nenhuma satisfação. Esse País só vai pra frente quando fizerem uma faxina total….a começar por Brasília e passar por 99% dos governadores e prefeitos de cada estado brasileiro. Uma reçalva gostaria imensamente q essa vassoura viesse a varrer primeiranente o Rio de Janeiro. Haja visto o q o governador fez dando cargos de auto salário para um parente e para um enteado. Me poupe cargos se conquistam com concurso público e dignidade… a população q votou nele deveria sair as ruas exigIr a exoneração de quem ele colocou e principalmente a dele. Pezão Graças a Deus nào tenho do q me arrepender sofro mais fique certo q não votei em vc e jamais votaria pq não gosto do Cabral e vcs continuam unha e carne. Prove q vc está com o povão retire seus apadrinhados e faça Concurso para q as pessoas entrem pela PORTA e não pela JANELA.

  27. Passeriformes disse:

    Não difícil isso ter acontecido com “Lírio”, por que Eu fiz 72 pontos na prova de Ag. Ad. DPF, feito pela banca CESPE e meu nome nem apareceu no edital, tendo gente que marcou bem menos pontos que Eu. Estou entrando com Habeas data, sendo provando o erro vou pedir reparação contra a CESPE.

  28. Angel disse:

    Olá
    Vcs tem ideia de onde posso avaliar a concorrência para cada região?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *