Home » News » MG: Concurso tem provas para 2 cargos suspensas após tumulto em BH

Confusão aconteceu no concurso do DER e do Deop. Dois cargos terão prova remarcada após atraso de quase uma hora.

Um tumulto durante uma prova de um concurso para o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e para o Departamento de Obras Públicas (Deop) de Minas Gerais, neste domingo (9), causou o cancelamento do teste para dois cargos oferecidos.

A confusão foi causada pelo atraso de cerca de 50 minutos na entrega das provas, aplicadas em uma universidade de Belo Horizonte, segundo a Secretaria de Estado de Planejamento de Gestão (Seplag).

O tumulto atingiu um grupo de concurseiros que ficaram insatisfeitos com a demora na entrega das provas para os cargos de gestor de transportes e obras públicas (Direito e Administração) e fiscal de transportes de obras rodoviárias (Administração). Este grupo se recusou a fazer o teste, e causou confusão em três das salas onde o teste seria aplicado.

A prova foi entregue 50 minutos depois do horário previsto, tempo este que, segundo a Seplag, foi acrescido no prazo de resolução. A reclamação dos candidatos foi registrada em ata e, segundo o governo, o Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC) foi acionado para explicar a razão do atraso na entrega das provas. O G1 entrou em contato com o IBFC, através de telefone disponível no site da instituição, mas ninguém foi encontrado para comentar o caso.

Ainda segundo a Seplag, as provas para os dois cargos envolvidos no tumulto serão remarcadas, e a nova data será divulgada oficialmente. Ainda não há previsão para a nova data. Para as duas carreiras, o concurso recebeu 1.158 inscrições.

As provas ainda foram realizadas em Montes Claros, Patos de Minas, Teófilo Otoni, Uberlândia e Varginha.

Fonte: G1
Saiba mais no SOS Concurseiro.com.br

1 Comment

  1. DENIS disse:

    Boa tarde
    Aqui em Uberlândia onde moro também houve atraso nas provas em pelo menos 50 minutos. Terão que cancelarem todas as provas de todas as cidades que concorreram para o cargo de fiscal de transportes e obras, pois , Houve indícios de fraudes com a violação das provas, quem garante que as provas não foram vendidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *