Home » News » Inmetro planeja realizar novo concurso público

Após encaminhar documentos ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) com a finalidade de realizar um novo concurso, o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) espera a autorização da pasta para que a seleção pública saia do papel.

Os arquivos enviados pelo instituto foram cadastrados na metade de fevereiro junto à Secretaria de Gestão Pública (Segep/MP) do MPOG e, atualmente, seguem em trâmite na secretaria executiva.

De acordo com o setor de recursos humanos do Inmetro, o levantamento para saber a necessidade de pessoal já foi feito, porém, dados como o número de vagas e os cargos ainda não podem ser divulgados.

Como o órgão depende do aval o Ministério do Planejamento, não há previsão de data para a abertura do processo seletivo.

Seleção anterior
Homologado em abril de 2011, o último concurso público contou com 253 oportunidades de níveis médio e superior e foi organizado pelo Cespe/UnB.

Ensino médio completo e/ou curso técnico eram imprescindíveis para as carreiras de assistente executivo (10) e técnico em metrologia e qualidade (79). O salário oferecido correspondia a R$ 2.504,68, podendo chegar a R$ 2.900,51 com a gratificação por qualificação.

Profissionais com diploma de graduação concorreram aos postos de analista executivo (40) e pesquisador tecnologista (124). A remuneração inicial era de R$ 5.964,34 e podia alcançar o valor de R$ 7.563,01 com o acréscimo da bonificação por títulos.

As chances para o emprego de analista estavam distribuídas nas áreas de assistente social, avaliação da conformidade, ciências contábeis, estatística, gestão pública e medicina (cardiologia, ortopedia e traumatologia, psiquiatria e do trabalho).

Já as ofertas de pesquisador eram para os seguintes setores: acreditação, análise de requisitos e qualidade de software, arquitetura de soluções de softwares, articulação internacional, ciência da computação, ciências econômicas, desenvolvimento de sistemas, educação a distância, engenharia, gestão da informação, governança de TI, infraestrutura e redes de TI, informática aplicada à metrologia legal, instrumentação em dinâmica dos fluidos, metrologia aplicada à acústica e vibrações, bioquímica e biologia molecular, cultivo de células, cultivo de células animais, microscopia de macromoléculas, microscopia óptica, dinâmica dos fluidos, grandezas eletromagnéticas, metrologia legal, grandezas ópticas, grandezas térmicas, materiais, química, microscopia eletrônica, microscopia forense, psicologia, recursos humanos e tecnologia e inovação.

Na época, as vagas foram destinadas ao Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Goiás e Distrito Federal. Ao todo, 5% das oportunidades pertenceram aos portadores de necessidades especiais.

O processo seletivo constou de prova objetiva de conhecimentos básicos e específicos para todos os candidatos e teste discursivo para quem pleiteou as funções de nível superior. Na parte de conhecimentos básicos, havia questões de língua portuguesa e língua inglesa, esta última apenas para as carreiras que exigiram graduação.

Fonte: JC Concursos
Saiba mais no SOS Concurseiro.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *