Home » News » TJ/RJ: Presidente confirma novo concurso para técnico e analista

A presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ- RJ), desembargadora Leila Mariano, confirmou à FOLHA DIRIGIDA que o órgão já programa a abertura de novo concurso para técnico e analista judiciários, cargos dos níveis médio e superior, respectivamente. “A intenção é divulgar um novo edital para que a próxima administração tenha um cadastro de reserva para poder trabalhar. Ainda não temos data exata para a divugação, mas a intenção é que ela ocorra logo após o término de validade do concurso atual. A intenção é contemplar os cargos de técnico e analista com e sem especialidade. O número de vagas ainda não foi definido, pois ainda irei convocar mais aprovados do cadastro da atual seleção. No momento estamos pensando apenas no edital”, afirmou a presidente do TJ-RJ.

O atual concurso, realizado em 2012, tem validade até 18 de maio para técnico (nível médio) e analista sem especialidade (superior em qualquer área) e até 6 de junho para analista com especialidade (superior em áreas específicas). Como a intenção da presidente é divulgar o edital logo após esse período, a orientação de especialistas em concursos é para que os interessados já iniciem logo a preparação, pois quanto antes começarem os estudos, maiores as chances de conseguir a aprovação e uma boa colocação. A Assessoria de Impresa do TJ-RJ, no início de março, já havia informado à FOLHA DIRIGIDA que era interesse da presidente Leila Mariano abrir um novo concurso para a área de apoio, porém agora, com a confirmação oficial por parte da desembargadora, é fundamental que os futuros candidatos já elaborem seus planos de estudo.

Muitas convocações – Apesar de ainda não ter sido definido o número de vagas, o TJ-RJ costuma convocar muitos aprovados em seus concursos. Segundo a Assessoria de Imprensa do tribunal, da última seleção, em 2012, com oferta de 284 vagas, já foram chamados 1.042 pessoas, sendo 651 técnicos e 391 analistas. Já na seleção de 2008, foram oferecidas 138 vagas, mas 2.707 aprovados (1.717 técnicos e 990 analistas) foram chamados. Além do grande número de convocações, a remuneração e os benefícios são outros atrativos da seleção. Atualmente, o técnico recebe R$4.222,13, e o analista, R$6.498,26, valores já somados aos R$704 de vale-refeição.

Além disso, o servidor, que tem seu contrato regido pelo regime estatutário (garantia de estabilidade), recebe benefícios como planos de saúde e dentário, e auxílios-transporte e creche. Na última seleção em 2012, os candidatos na primeira etapa do concurso foram avaliados por meio de provas objetivas, sendo de 70 questões para analistas com especialidade, e com 90 questões para técnicos e analistas sem especialidade. Além disso, os candidatos a analista com especialidade foram submetidos a um teste discursivo com duas questões de conhecimentos teóricos específicos. A prova objetiva dos candidatos a técnico e analista sem especialidade constou de 35 questões do Grupo I (cinco de Informática e 30 de Português), 40 do II (cinco de Direito Administrativo, cinco de Direito Constitucional, 15 de Direito Processual Civil e 15 de Direito Processual Penal) e 15 do III (Legislação).

Dicas de Direito Processual Penal
Uma das novidades do último concurso para o cargo de técnico judiciário do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ) foi a inclusão da disciplina de Direito Processual Penal no conteúdo programático. Como possivelmente o programa não deverá ser alterado, é fundamental o candidato dar atenção especial a esta matéria. No entanto, segundo o professor Marcelo Pereira Marques, quem se prepara com antecipação não precisa se preocupar, já que alguns temas costumam se repetir nas provas. “Dependendo do conteúdo exigido no edital do concurso, a matéria pode ser bem complexa, mas não foi o que aconteceu no último certame, quando foram cobrados os temas presentes no dia a dia e nos noticiários, como inquéritos policiais e ações penais. Dessa forma o estudo da matéria não fica tão complexo, pelo contrário, se torna mais atraente para o concursando”, incentiva.

Ainda de acordo com o professor, se o TJ-RJ mantiver a mesma banca do concurso anterior, a Fundação Carlos Chagas (FCC), o candidato deve esperar uma prova bem elaborada e coerente, mas caso a escolha seja pelo Cespe/UnB, como aconteceu em 2008, é possível que a avaliação seja mais trabalhosa. “O que muda é o perfil, pois essa instituição exige um pouco mais de interpretação em suas provas”, analisa. Segundo o professor, os assuntos que ainda não foram cobrados, mas que poderão ser explorados no próximo concurso, estão as questões sobre prisões cautelares (flagrante, preventiva e temporária). “Apesar desse assunto não ter sido abordado anteriormente, ele é sempre recorrente nos concursos onde são cobradas questões de Direito Processual Penal”, disse.

Para Marcelo Marques não há mágica ou técnica de estudo na preparação do candidato em busca de uma vaga, mas é preciso muita disciplina e dedicação. “Um estudo de qualidade em Direito Processual Penal começa com a legislação atualizada e um bom livro para servir de base. O que posso garantir é que tanto o Processo Penal como o Processo Civil constituem a essência do trabalho do técnico judiciário, pois elas traçam as regras de andamento do feito judicial, logo é de vital importância que o profissional conheça tais trâmites, pois facilitará significativamente o desempenho de suas funções, devendo ser estudadas com afinco”.

Fonte: Folha Dirigida
Saiba mais no SOS Concurseiro.com.br

9 Comments

  1. Geciene de Assis Pereira disse:

    bom dia, gostaria de ser avisada quando sair o edital, pois há muito sonho em trabalhar nesse órgão. Um abraço.

    • Redação EVP disse:

      Boa tarde, para maiores informações basta acompanhar nosso blog oficial, postaremos mais informações aqui, assim que recebermos. Obrigado

  2. Lirio disse:

    É mentira. O TJRJ enganou centenas de candidatos aprovados no último concurso. Diz que há carência, mas simplesmente não convoca. Convocou um número bem abaixo do esperado, irrisório mesmo, e, simultaneamente, entupiu os cartórios de estagiários, terceirizados e requisitados, tudo levando a crer que este novo concurso será mais um “concurso arrecadatório”, um engodo, que vai iludir e tomar o tempo de uma segunda leva de desavisados.

  3. HARLEN disse:

    É verdade ! Há muita carência de pessoal, mas, no fundo no fundo, O TJ-RJ está entupido de estagiários. Sou um deles. A quantidade de estagiários me assustam porque nós acabamos sendo uma mão de obra barata e que acaba substituindo a mão de obra necessária, Analistas e Técnicos.

  4. Tarcísio disse:

    Bom dia, gostaria de saber se para o cargo de analista ou para o cargo técnico vai haver avaliação de digitação. Desde já agradeço.

  5. Clara disse:

    Pois eh eu fiquei em segundo lugar para meu cargo e nao me chamaram. gostaria mt de saber se ha contratados exercendo minha funcao (comunicacao social) mas eh praticamente impossivel saber isso. eh complicado continuar estudando dps de uma situacao dessas… com gnt aprovada e concurso em validade a desembatgadora declara que precisa de gente, mas em vez de chamar os aprovados, espera a validade acabar para abrir novo edital…isso porque eh o Tribunal de Justica hein.

  6. Clara disse:

    Pois é, eu fiquei em 2º na minha especialidade (Comunicação Social) e não me chamaram. Gostaria muito de saber se há contratados exercendo a minha função, mas é complicado saber isso… Fica muito difícil acreditar na boa-fé das instituições numa situação dessas: candidatos aprovados, bem-colocados num concurso ainda válido esperam a nomeação, enquanto a Presidente declara que o órgão precisa de gente e vai abrir novo edital repetindo muitos cargos, mas só depois que o atual concurso expirar. Isso porque é o Tribunal de Justiça, hein.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Login